HU/UFGD forma segunda turma de residentes

O Hospital Universitário da UFGD (Universidade Federal da Grande Dourados) forma nesta quarta-feira (30.01) a segunda turma de residentes da instituição. No total, serão 13 formandos, sendo cinco médicos e oito da residência multiprofissional – entre enfermeiros, psicólogos e nutricionistas.
A solenidade será às 8h no auditório do Hospital Universitário. A formatura irá encerrar as atividades dos residentes, após dois anos de dedicação exclusiva ao programa de pós-graduação lato sensu da universidade. Da residência médica, serão formados três profissionais especialistas em clínica cirúrgica e outros dois em clínica médica. Já na residência multiprofissional, serão formados oito residentes – três enfermeiros, quatro nutricionistas e um psicólogo. Neste caso, os profissionais podem optar por se especializar em duas áreas – cardiologia ou saúde indígena.
O neuropediatra Emerson Henklain Ferruzzi, diretor de Educação Superior do HU/UFGD, reforça o potencial de cada profissional formado na segunda turma de residência. "São profissionais formados, com aprimoramento dos conhecimentos durante este período", destaca. Ele lembra que, durante o período de residência, todas as atividades dos profissionais são acompanhadas do preceptor (profissional do HU) ou de um professor do curso.

O diretor lembra que a presença de internos e residentes (médicos e multiprofissionais) é uma realidade dos grandes hospitais de todo o mundo, contribuindo efetivamente para a qualidade do atendimento prestado pelo HU/UFGD. Outra vantagem é que, na maior parte dos casos, estes profissionais acabam sendo absorvidos pelo mercado de trabalho, tanto em Dourados quanto na região.
Esta é a meta traçada pela médica Larissa Catelan Fagundes, 28 anos, uma das residentes em clínica médica formada esta semana pelo HU/UFGD. Filha de médicos e residente em Dourados há muitos anos, ela pretende ainda se especializar em dermatologia – mas faz planos de voltar à cidade para atuar aqui. "Quero atuar em Dourados, assim como meus pais", garante. Ela conta que optou pela residência em clínica médica por acreditar na necessidade de um conhecimento geral da medicina antes da escolha por uma especialidade. "Independente da área de atuação, este conhecimento é muito importante", destaca.
Residência
No HU/UFGD, além dos residentes formados nesta semana, outros 32 profissionais já participam do programa de pós-graduação lato sansu da UFGD. Da área médica, são cinco na área de Ginecologia e Obstetrícia; quatro na Pediatria; três em Clínica Médica e dois em Clínica Cirúrgica. Na área multiprofissional, são mais 18.
Para este ano, o programa de pós-graduação está oferecendo outras 22 vagas, sendo 12 para a área médica e 10 para a multiprofissional. O processo de seleção já está sendo realizado e a previsão de início das aulas é 1º de março.
A residência médica e multiprofissional do HU/UFGD tem duração entre dois e três anos, dependendo da especialidade. Todos os residentes passam por um processo de seleção e, após ingresso na residência, recebem uma bolsa mensal financiada pelo MEC, no valor de R$ 2.344,82.

Foto: Divulgação
Legenda: Residentes contribuem para qualidade no atendimento prestado; atendimento é acompanhado por médico ou professor do curso

Mais lidas

Faculdades de Medicina no Paraguai: Universidade USCA abre 280 vagas para curso de medicina e inscrições já estão abertas.

Veja a relação dos candidatos a vereador em Dourados com número que aparece na urna

Proprietários são notificados para adequação das calçadas em Dourados