Em acordo de cooperação, UFGD terá arquivo de 16 anos de história de processos judiciais trabalhistas

Na última segunda-feira, 25 de fevereiro, a Universidade Federal da Grande Dourados – UFGD e o Tribunal Regional do Trabalho – TRT, 24ª região, instituições representadas pelo reitor, professor doutor Damião Duque de Farias, e o desembargador presidente, Francisco das Chagas Lima Filho, assinaram um Acordo de Cooperação Técnica que cede à Universidade a guarda de todos os processos judiciais trabalhistas oriundos da 2ª Vara do Trabalho referente ao período de 1990 a 2006.
Nos documentos constam parte da história das relações de trabalho de trabalhadores e trabalhadoras de Dourados e região o que permitirá análises históricas, antropológicas, sociais, econômicas e jurídicas por parte de estudantes e pesquisadores, reconhecendo e conhecendo importantes fatos do cotidiano, valores e princípios da sociedade sul-matogrossense.

Segundo o desembargador, acordos como estes já foram assinados com outras universidades do Estado permitindo pesquisas de mestrado e doutorado com base nos processos judiciais. "A exploração do trabalhador indígena, por exemplo, é uma delas. Nós fomos os primeiros a levar a justiça do trabalho para a Reserva Indígena, isso é fantástico em se tratando da história do Direito. A ideia é contribuir com a Universidade".
Francisco das Chagas Lima Filho relembrou ainda a discriminação como "algo condenável" com relação a essa comunidade. "Enfim, nesses processos judiciais existem uma série de questões que servirão como base para pesquisas e é um dever o resgate por parte da academia, contribuindo com o avanço da sociedade", enfatizou.
Desde 2011, a UFGD e o TRT negociam a cessão dos documentos. Para o reitor, essa é uma oportunidade que abre o universo da sociedade, o seu contexto das relações sociais e trabalhistas. "São documentos valiosos e que favorecerão o conjunto da comunidade acadêmica e de toda sociedade". Damião Duque de Farias lembrou ainda que a Universidade iniciará brevemente outro projeto para digitalização desses processos.
AUDIÊNCIAS SIMULADAS
Na oportunidade, o reitor e o desembargador também assinaram o Acordo de Cooperação Técnica visando o planejamento e execução de Audiências Simuladas que permitirão aos estudantes de Direito a análise do processo, com realização de práticas na presença de juízes permitindo um ambiente judicial mais próximo do real, oportunizando a prática dos acadêmicos, contribuindo sobremaneira com a sua formação.
Estavam presentes na assinatura dos acordos Jair Martins Jankowshy, secretário da Corregedoria do TRT/24ª Região, Selzo Moreira Fernandes, diretor do Serviço de Controle Interno do TRT/24ª Região, Francisco de Paula, diretor da 1ª Vara do Trabalho de Dourados, Izabella de Castro Ramos, juíza titular da 1ª Vara do Trabalho de Dourados e diretora do Foro, Newton Nogai, diretor da 2ª Vara do Trabalho de Dourados além do Pró-Reitor de Administração da UFGD, professor Sidnei Azevedo de Souza, a diretora da Faculdade de Direito e Relações Internacionais, professora doutora Simone Becker, o coordenador do curso de Direito, professor James Gallinati Hein, o diretor da Faculdade de Ciências Humanas da UFGD, professor doutor João Carlos de Souza, a chefe de gabinete da reitoria, professora Marlene Estevão Marchetti e o secretário do gabinete, Glauber da Silva.


Legenda da foto: Reitor Damião e Desembargador Francisco das Chagas durante assinatura de Acordo; processos permitirão análises históricas, antropológicas, sociais, econômicas e jurídicas por parte de estudantes e pesquisadores.

Mais lidas

Faculdades de Medicina no Paraguai: Universidade USCA abre 280 vagas para curso de medicina e inscrições já estão abertas.

Veja a relação dos candidatos a vereador em Dourados com número que aparece na urna

Proprietários são notificados para adequação das calçadas em Dourados