Prefeitura disponibiliza intérprete para professora surda em Dourados

Representando mais um avanço na educação de Dourados, a prefeitura através da Secretaria de Educação adotou uma medida inédita na inclusão de pessoas com deficiência. A professora Ana Paula Oliveira e Fernandes é surda e conta com a ajuda de uma intérprete disponibilizada pelo município, para que possa ministrar suas aulas normalmente na Escola Municipal Arthur Campos Melo, na Vila Cachoeirinha.


Ana Paula é formada em artes, mas por ter problema de surdez sempre enfrentou dificuldades para entender e ser entendida pelos alunos. Foi aí então que ela decidiu se especializar na linguagem de sinais chamada Libras e fez uma nova faculdade, de letras libras. Segundo ela, a barreira de comunicação prejudicava o desenvolvimento completo de suas aulas e impedia que seus alunos tivessem um bom aproveitamento.
 
A professora disse que no início os alunos estranharam a linguagem e o fato de haver duas professora na sala, mas aos poucos estão se acostumando. "É diferente, mas é interessante e nós não temos nenhuma dificuldade em aprender o que a professora ensina", afirma o aluno Gustavo Henrique da Silva. Para o garoto, é bom também, porque é uma oportunidade de aprender Libras.

Para a professora ILS (Intérprete de Língua de Sinais) Naura Rosa Battaglin, é um trabalho muito gratificante. "É um aprendizado mútuo, eu, ela, os alunos, e isso faz a gente crescer profissionalmente e como pessoa", contou Naura, definindo seu trabalho como "um sentimento fantástico". Porém, para ela, um dos fatores fundamentais para o sucesso dessa nova experiência é a confiança entre as duas.

"Estou muito feliz, segura e realizada, porque sou de família de professores e meu sonho sempre foi atuar na área", comemorou Ana Paula. Ela conta que achava que jamais poderia exercer a função, mas "hoje com o intérprete que traz o apoio e segurança para mim, posso também provar que o surdo pode atuar nas mais diversas profissões, basta ter persistência, força de vontade e lutar por isso".

A diretora da escola, Francisca Lopes Delgado, perguntada sobre a reação dos pais, disse que não teve nenhum problema e que alguns deles consideram um fato interessante. "Os alunos estão vivendo uma experiência nova, positiva, e eles próprios passam essa experiência para os pais que não percebem qualquer diferença negativa no aprendizado de seus filhos", explicou Francisca.

Para a coordenadora do Núcleo de Educação Especial da Secretaria de Educação Terezinha Piva Espósito, a intenção do prefeito Murilo ao autorizar a secretária Marinisa Mizoguchi a contratar a intérprete "não foi apenas para cumprir o direito legal dado às pessoas com deficiência, de promover a acessibilidade, mas sim de assegurar a valorização do profissional, oferecendo a ele, as condições necessárias para que possa exercer sua docência com qualidade".
 
Legenda: A professora Ana Paula (de blusa escura) dá aula em Libras e Naura traduz para os alunos de escola da Vila Cachoeirinha
Crédito: A. Frota

Mais lidas

Faculdades de Medicina no Paraguai: Universidade USCA abre 280 vagas para curso de medicina e inscrições já estão abertas.

Veja a relação dos candidatos a vereador em Dourados com número que aparece na urna

Proprietários são notificados para adequação das calçadas em Dourados