UFGD abriga exposição interativa contando curiosidades sobre insetos de MS

 Exposição "Abrindo os olhos para a diversidade de insetos do Centro-Oeste" está na Faculdade de Ciências Biológicas e Ambientais da UFGD e é aberta à comunidade.
Você pensa que formiga é um inseto pequeno, com uma cor avermelhada, que mora em colônias bem organizadas, e vive de carregar folhas e doces para dentro do ninho? Acabe com este estereótipo. Uma exposição interativa montada na Universidade Federal da Grande Dourados mostra a diversidade de formigas e insetos de Mato Grosso do Sul.

A exposição "Abrindo os olhos para a diversidade de insetos do Centro-Oeste" está montada no hall de entrada da Faculdade de Ciências Biológicas e Ambientais da Universidade Federal da Grande Dourados (FCBA/UFGD), pronta para receber a visita de grupos escolares e de quem tiver interesse em conhecer mais sobre a importância dos insetos no meio ambiente.
A exposição conta com 40 fotografias que ampliam o universo das formigas e mostram como é a vida desses insetos. As imagens refletem os quatro principais afazeres das formigas: morar, cuidar, explorar e comer. Quem visita a exposição ainda pode interagir com vídeos e fotografias apresentadas através de projeção em tela interativa, ou ainda ver insetos milimétricos ampliados em estereomicroscópios.
O curador da exposição é o Prof. Dr. Rogério Silvestre, professor de Ecologia e de Evolução da FCBA e do Programa de Pós-graduação em Entomologia e Conservação da Biodiversidade da UFGD e as fotografias são de autoria de Paulo Robson de Souza, professor da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul.
"É uma exposição com textos divertidos, uma linguagem que proporciona interação com o público. Vai chamar muita atenção das crianças, pois tivemos cuidado de colocar exemplares coloridos e legendas explicativas com texto fácil e criativo. Várias caixas entomológicas expostas mostram a diversidade de moscas, besouros, abelhas, vespas, borboletas, gafanhotos, percevejos e das formigas. Nosso objetivo vai de encontro com os esforços do CNPq, que busca cada vez mais popularizar a ciência, levar os resultados das pesquisas científicas a conhecimento da população brasileira", destaca o professor Paulo.
Essa exposição foi financiada pelo CNPq dentro do edital de Museus de 2009. Os colaboradores da exposição trabalharam por dois anos na montagem dos painéis e selecionando as fotos a partir de um acervo com mais de duas mil fotografias sobre a biodiversidade feitas pelo Prof. Paulo Robson e pelos alunos do Laboratório de Ecologia de Hymenoptera- HECOLAB. A exposição contribui para que os visitantes identifiquem a grande variedade da vida e a importância de preservarmos essa biodiversidade para as futuras gerações e para a qualidade do meio ambiente. "A verdadeira beleza está na diferença entre as coisas e a paisagem está nos olhos", comenta o prof. Rogério.
Professores e professoras que tiverem interesse em levar estudantes para conhecer a exposição podem entrar em contato através dos telefones 3410-2190 e 3410-2224 e por e-mail: fcba@ufgd.edu.br e agendar uma visita orientada.

Mais lidas

Faculdades de Medicina no Paraguai: Universidade USCA abre 280 vagas para curso de medicina e inscrições já estão abertas.

Veja a relação dos candidatos a vereador em Dourados com número que aparece na urna

Proprietários são notificados para adequação das calçadas em Dourados