UFGD leva educação sanitária para bairros de Dourados

Professores e estudantes levam informações para população sobre higiene pessoal, limpeza de casa, do quintal e cuidado com animais de estimação.
Comunidades com baixo índice de desenvolvimento humano geralmente são as mais acometidas por zoonoses, como o piolho e a sarna. Também é nesses lugares onde se desenvolvem mais doenças infecto parasitárias, como a leishmaniose e a dengue. O desconhecimento sobre higiene pessoal, juntamente com a pobreza e a falta de saneamento básico ocasionam a condição perfeita para que essas doenças possam proliferar.


Estudantes e professores de diversos cursos da UFGD estão trabalhando em um projeto que leva cultura, lazer e educação sanitária para auxiliar comunidades carentes de Dourados. Juliana Carrijo Mauad, que é professora nos cursos de Ciências Biológicas e Zootecnia da Universidade, idealizou e vem coordenando o projeto "Bioeducando".

Este projeto é composto por diversas atividades, entre elas, a visita periódica ao bairro Estrela Hory, em Dourados. A comunidade foi escolhida pelo alto índice de desemprego e baixa escolaridade da população.

"Lá, quase todas famílias têm um deficiente físico ou mental e por isso as mulheres ficam em casa, cuidando das crianças e doentes. Isso afeta a renda familiar, já que muitas vezes essas mulheres são chefe de família, mães solteiras ou que recebem pouca ajuda do companheiro. Há também um alto índice de criminalidade entre os homens adultos e jovens", descreve a docente.

Uma vez por semana, o grupo de estudantes e professores vai até o bairro e realiza atividades lúdicas voltadas para as crianças, com o objetivo de ensinar sobre a importância de atos simples de higiene pessoal. Com brincadeiras, teatro e muita conversa, os acadêmicos ensinam como se deve escovar os dentes, lavar bem a cabeça, pentear os cabelos, entre outras atividades.

A limpeza da casa e do quintal também são temas de atividade, assim como os cuidados com os animais de estimação, já que muitas vezes cães e gatos passam doenças para as crianças e idosos. Neste ano, o projeto vai promover a castração desses animais, mediante autorização dos donos. Os animais do bairro e dos arredores também receberão vacina contra a raiva.

Educar para prevenir

O projeto "Bioeducando" teve início em 2011, com o objetivo de levar palestras e atividades de educação sanitária para as escolas da rede municipal de Dourados e para o bairro Estrela Hory. Em 2012, escolas indígenas passaram a receber atenção especial do projeto. Além disso, a equipe ofereceu cursos de reciclagem de conhecimentos para todos os professores de Ciências da rede municipal e para 445 agentes de saúde da prefeitura de Dourados.

Em 2013 o projeto será ampliado e terá algumas novidades, entre elas a impressão e distribuição de revistas em quadrinhos que esclarecem de forma divertida sobre bicho geográfico, bicho de pé, leishmaniose, piolho e dengue. Neste ano, o grupo também deve elaborar uma versão em guarani dessas cartilhas. As que já estão prontas estão disponíveis para download no site do projeto: http://bioeducandoufgd.blogspot.com.br

Texto extraído do jornal de fevereiro da UFGD, disponível pelo link: http://www.ufgd.edu.br/comunicacao/downloads/edicao-no-15-do-jornal-ufgd-janeiro-e-fevereiro-2013

Mais lidas

Faculdades de Medicina no Paraguai: Universidade USCA abre 280 vagas para curso de medicina e inscrições já estão abertas.

Veja a relação dos candidatos a vereador em Dourados com número que aparece na urna

Proprietários são notificados para adequação das calçadas em Dourados