UFGD vai licitar obras de novo hospital em abril


Recursos federais, da ordem de R$ 12,9 milhões,  já estão disponíveis na conta da Universidade; prédio de cinco andares oferecerá 204 novos leitos para mulheres e crianças de Dourados e região
        
A Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD) deverá lançar, no início de abril, o processo licitatório para a construção de um novo hospital em Dourados, anexo ao Hospital Universitário: o IMC – Instituto da Mulher e da Criança. O compromisso foi feito pelo reitor Damião de Farias, em recente reunião com o deputado federal Geraldo Resende, que articulou os recursos federais, da ordem de R$ 12,9 milhões para o projeto.

         Segundo o reitor, com o andamento do processo licitatório transcorrendo normalmente, há condições do início das obras acontecer em maio próximo. O IMC, que deverá receber recursos próprios da UFGD, da ordem de R$ 6 milhões terá área construída de aproximadamente 8,7 mil metros quadrados, que vai disponibilizar 204 novos leitos hospitalares para Dourados e região.
         O novo hospital será um prédio de cinco andares e ofertará serviços de de ginecologia e obstetrícia, e neonatologia. O térreo do edifício terá consultórios de Ginecologia e Obstetrícia, banco de leite, consultórios de Pediatria, PAP (Pronto Atendimento Pediátrico) e salas das residências. O primeiro andar abrigará quatro salas cirúrgicas para partos e outras seis para parto normal. No segundo pavimento haverá 19 leitos de Unidade de Terapia Intensiva Neonatal e 12 leitos para CTI Neonatal. O terceiro andar contará com 21 quartos de enfermaria (dois leitos por quarto) e o último pavimento concentrará 16 quartos de internação pediátrica (dois leitos por quarto).
         Para garantir os recursos, o deputado Geraldo Resende trabalha junto ao Ministério da Saúde em parceria com o diretor geral do Hospital Universitário da UFGD Wedson Desidério Fernandes desde agosto de 2009. A transferência dos R$ 12,9 milhões, do Ministério da Saúde para a UFGD, aconteceu em outubro de 2010, atendendo compromisso do então ministro José Gomes Temporão com o parlamentar sul-mato-grossense.
         Desde então, a UFGD vem procedendo os encaminhamentos necessários, que vão culminar com a realização do processo licitatório. Neste período, a Universidade enfrentou e resolveu problemas na aprovação e alterações do projeto arquitetônico, reavaliações do Ministério da Saúde e até a necessidade de realizar uma nova licitação.
         O deputado Geraldo Resende comemora a perspectiva do início das obras do IMC em maio. "Será uma grande conquista para toda a região, que vai representar um grande salto de qualidade no atendimento, bem como a residência médica para os acadêmicos de Medicina em diversas áreas".
         Para o diretor do HU Wedson Desidério o novo hospital será uma conquista "que vai transpor os limites da universidade, pois oferecerá serviços de alta qualidade para os usuários do SUS e vai permitir, ainda, a residência médica para os acadêmicos de Medicina nas áreas de ginecologia, obstetrícia, pediatria e neonatologia". Segundo ele, o IMC é uma "luta de todos, em especial do deputado Geraldo Resende, que tem sido o principal interlocutor na conquista deste empreendimento".

Legenda da ilustração:
Perspectiva do novo hospital que será construído em Dourados, viabilizado numa parceria entre Geraldo Resende e a UFGD.

Mais lidas

Faculdades de Medicina no Paraguai: Universidade USCA abre 280 vagas para curso de medicina e inscrições já estão abertas.

Veja a relação dos candidatos a vereador em Dourados com número que aparece na urna

Proprietários são notificados para adequação das calçadas em Dourados