Combate ao câncer: Geraldo quer vacina gratuita contra HPV


O deputado federal Geraldo Resende propõe uma tramitação rápida do Projeto de Lei (PL) 6.820/2010, que garante vacinação gratuita contra o Papilomavírus humano (HPV) à população. No último dia 20 a Comissão de Seguridade Social e Família (CSSF) da Câmara dos Deputados aprovou, por unanimidade, o parecer de Geraldo Resende, favorável à proposta.
O projeto, que agora segue para as comissões de Finanças e Tributação (CFT) e de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ) da Câmara, é autoria da então senadora Ideli Salvatti (PT-SC), atual ministra das Relações Institucionais.

Para subsidiar a redação do parecer, Geraldo solicitou uma audiência pública realizada pela CSSF no dia 29 de maio do ano passado. "Conseguimos vencer a resistência do Ministério da Saúde e hoje conquistamos esta vitória para homens e mulheres", afirmou o parlamentar, ao ver seu parecer aprovado unanimemente pelos demais membros da CSSF.
O PL inclui o antipapilomavírus humano no calendário de vacinação do Programa Nacional de Imunizações. A matéria despertou tanto interesse que sete outros projetos de leis de autoria de deputados e senadores estavam apensados ao PL 6.820.
O HPV é responsável por um grande número de ocorrências de câncer de colo de útero, de pênis, vulva, de ânus e até mesmo do trato respiratório superior. O HPV é a doença sexualmente transmissível mais comum do mundo, com 6 milhões de infectados.
Cerca de 80% das mulheres entra em contato com um dos mais de 100 tipos de vírus do HPV durante a vida sexual. Atualmente, o risco de infecção ao longo da vida é de 50%, o contágio acontece em média entre os dois e os 10 anos após o início da atividade sexual.
O câncer do colo do útero é a terceira causa de mortalidade feminina. No país existe a estimativa de 17 novos casos para cada 100 mil mulheres. As vacinas apresentam eficácia comprovada e são aplicadas em três doses, em um intervalo de seis meses. Países como a Austrália já vacinam mulheres de 10 a 26 anos, onde a incidência de câncer de colo de útero diminuiu em até 70%.
          Audiência pública
Em maio do ano passado, a Comissão de Seguridade Social e Família da Câmara dos Deputados realizou uma audiência pública para debater o PL 6.820/2010, atendendo solicitação de Geraldo Resende.
Na oportunidade, os expositores apresentaram argumentos para a disponibilização da vacina contra o HPV na rede pública de saúde, entre eles o professor Mauro Romero Leal, coordenador do Centro de Referência em Doenças Sexualmente Transmissíveis da Universidade Federal Fluminense. Segundo ele, mais de 36 países já disponibilizam a vacina contra o HPV na rede púbica, inclusive a Argentina.
O médico Etelvino de Souza Trindade, Presidente da Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia disse que "cerca de 50% da população sexualmente ativa em algum momento da vida terá contato com o HPV. Estima-se que 30 milhões de pessoas em todo mundo tenham verrugas genitais associadas".
A representante do Ministério da Saúde Carla Domingues argumentou que para a inclusão de uma nova vacina no Programa Nacional de Vacinação é preciso um planejamento para capacitar, aumentar a infraestrutura e a rede fria, além de custos para um planejamento de médio á longo prazo. "Porém, a inclusão da vacina contra o HPV já está em estudo", explicou.

Legenda da foto/divulgação: Geraldo Resende, durante a audiência pública realizada no ano passado.

Mais lidas

Faculdades de Medicina no Paraguai: Universidade USCA abre 280 vagas para curso de medicina e inscrições já estão abertas.

Veja a relação dos candidatos a vereador em Dourados com número que aparece na urna

Proprietários são notificados para adequação das calçadas em Dourados