Invasão de área verdes/Água e luz em ocupações irregulares

 A reunião do Conselho Regional do Anhanduizinho, realizada no auditório da Planurb, debateu a invasão de áreas públicas nos bairros, entre elas as áreas destinadas a finalidade ambiental.
 Inquirido pelos representantes de associações de moradores daquela região de Campo Grande sobre as medidas da prefeitura frente às invasões de áreas públicas, o representante da Semadur, Raimundo de Araújo, diretor do Departamento de Políticas e Sustentabilidade Ambiental, disse que a prefeitura vai cumprir a lei para fazer valer as finalidades das áreas públicas, quais sejam, construção de escolas, equipamentos públicos para esporte e lazer, entre outras destinações coletivas desses espaços públicos.

Para Raimundo, deve ser levada em conta qual a destinação legal de uma área verde no contexto urbano e os benefícios de uma área verde no bairro. Ele fez uma distinção entre áreas públicas destinadas a caminhadas, lazer das áreas de preservação permanente.
Questionado sobre as medidas administrativas e legais que a nova gestão terá frente às invasões, o diretor afirmou que se pautará pelo cumprimento da legislação e que as áreas ocupadas irregularmente devem ser retomas para finalidades públicas. São áreas da sociedade de Campo Grande e precisa ser dada destinação correta para as áreas.
Para algumas lideranças comunitárias, a prefeitura deveria realizar uma regularização dessas áreas, levando em conta que muitas famílias residem há 30 anos nessas áreas, bem como programas de habitação. O diretor da Semadur disse que nunca houve na prefeitura um debate sobre regularização de áreas. "Jamais se trabalhou no sentido da regularização. Por quê não aconteceu a regularização? Não houve política habitacional durante os últimos 20 anos? Ou foi equivocada? Talvez as pessoas que receberam as casas não eram as que precisavam. Talvez o número de casas não foi suficiente?", indagou. Afirmou também que a determinação das retomadas de áreas é do Poder Judiciário e que a prefeitura continuará a notificar as ocupações irregulares e entrar na Justiça para retomar essas áreas para finalidades públicas.
O gabinete do vereador Zeca do PT acompanhou os debates. O vereador já apresentou um requerimento à prefeitura onde solicita a relação completa das áreas públicas de Campo Grande que foram transferidas ou vendidas para terceiros nos últimos 16 anos, junto com a relação de beneficiários. Zeca também está formatando o projeto da transparência na concessão das casas populares que também será apresentado na Câmara.  
A próxima reunião do Conselho Regional do Anhanduizinho acontece no dia 02 de maio, no auditório da Planurb.

Mais lidas

Faculdades de Medicina no Paraguai: Universidade USCA abre 280 vagas para curso de medicina e inscrições já estão abertas.

Veja a relação dos candidatos a vereador em Dourados com número que aparece na urna

Proprietários são notificados para adequação das calçadas em Dourados