Moka reúne ministro e 14 senadores para discutir saúde no país


O presidente da Comissão de Assuntos Sociais (CAS) do Senado, senador Waldemir Moka (PMDB), reuniu na noite de quarta-feira (10), em Brasília, o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, e 14 senadores para discutir os problemas da saúde pública no país.


Moka assumiu a presidência CAS com o compromisso de colocar novamente em discussão a necessidade de o país investir mais no setor. O senador tem criticado a regulamentação da Emenda 29, que obrigou os Estados a investirem o mínimo de 12% de sua receita no setor e os municípios, 15%, livrando a União de qualquer exigência.

O objetivo das reuniões e audiências no colegiado é resolver questões essenciais para melhorar o atendimento da população, como o aumento na oferta de leitos hospitalares, a interiorização dos médicos, a reestruturação das carreiras das áreas médicas, a situação dos hospitais filantrópicos e o reajuste da tabela do Sistema Único de Saúde (SUS).

O senador considerou "valioso" o encontro com o ministro, que se dispôs a se reunir ao menos uma vez por mês com os senadores para que sejam discutidas e implementadas medidas para melhorar o setor."O ministro sinalizou que está disposto a buscar, com apoio do Congresso, soluções para resolver parte desses problemas", avaliou.

Moka destacou o caráter suprapartidário da reunião, que reuniu senadores de sete partidos. "A questão da saúde não tem ideologia, não tem lado. É um problema sério que precisa ter a participação e o comprometimento de todos", observou.

Além de Moka e do ministro Alexandre Padilha, participaram da reunião os senadores Humberto Costa (PT-PE), Ana Amélia (PP-RS), Romero Jucá (PMDB-RR), Vital do Rêgo (PMDB-PB), Wellington Dias (PT-PI), Vanessa Grazziotin (PC do B-AM), Lucia Vânia (PSDB-GO), Jayme Campos (DEM-MT), Eunício Oliveira (PMDB-CE), Sodré Santoro (PTB-RR), Roberto Requião (PMDB-PR), Casildo Maldaner (PMDB-SC), Cícero Lucena (PSDB-SE) e Paulo Davim (PV-RN).

Movimento Saúde + 10 – Antes da reunião com o ministro da Saúde, Moka e os senadores da CAS receberam representantes do Movimento Nacional em Defesa da Saúde Pública para debater o financiamento público da saúde com os senadores da comissão.

O Movimento realizou um ato em Brasília para anunciar a primeira contagem oficial das assinaturas coletadas para um projeto de iniciativa popular, que tem o objetivo de garantir o percentual mínimo de 10% das receitas brutas da União a serem aplicadas no Sistema Único de Saúde (SUS).

A expectativa é coletar, aproximadamente, 2 milhões de assinaturas para a proposta e, até agora, o movimento conseguiu 1,2 milhão de assinaturas. Os representantes do Movimento garantiram aos senadores que o tema está envolvendo diversos setores da sociedade.

Mais lidas

Faculdades de Medicina no Paraguai: Universidade USCA abre 280 vagas para curso de medicina e inscrições já estão abertas.

Veja a relação dos candidatos a vereador em Dourados com número que aparece na urna

Proprietários são notificados para adequação das calçadas em Dourados