Dados da DEAM demonstram necessidade de Delegacia 24h

A Delegacia Especializada de Atendimento a Mulher (DEAM) de Campo Grande, registrou ontem (segunda-feira) 59 atendimentos, sendo 32 boletins de ocorrência, números que reforçam a necessidade de atendimento da DEAM nos finais de semana e feriado, o qual reivindica o "Comitê: Delegacia 24 horas", que solicita ainda extensão do horário de atendimento da Delegacia de Proteção à Criança e Adolescentes (DEPAC) e Delegacia de Atendimento a Infância e Juventude (DEAJI).
"Lançamos o ato no último sábado e agora estamos na internet e nas ruas da cidade, coletando assinaturas que serão entregues ao governador e ao secretário de justiça e segurança pública para que seja ampliado o atendimento das delegacias especializadas, porque violência não tem hora tem lugar para acontecer", afirmou a vereadora Luiza Ribeiro (MD), uma das idealizadoras do movimento.

Além da coleta de assinatura, o "Comitê: Delegacia 24h", irá visitar os Conselhos de Segurança de Campo Grande para discutir o tema da violência e solicitar apoio na busca de assinaturas. Segundo o Código Penal Brasileiro os crimes contra a mulher são lesões corporais, ameaça, estupro, sedução, rapto violento ou mediante fraude e rapto consensual e ainda: posse sexual mediante fraude; atentado ao pudor mediante fraude; atentado violento ao pudor; perigo de contágio venéreo; perigo de contágio de moléstia grave; constrangimento ilegal; sequestro e cárcere privado; redução à condição análoga a de escrava; corrupção de menores; favorecimento à prostituição e mediação para servir a lascívia de outrem.

Compõem o Comitê: vereadora Luiza Ribeiro (MD), Senadora Ana Rita (PT/ES); Presidente da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) que investiga a violência contra a mulher no Brasil; Comissão de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente da OAB/MS; Conselho Estadual dos Direitos da Mulher de MS; Coordenação Estadual de Mulheres do PPS;  PSDB Mulher;  PC do B Mulher; Ponto de Cultura Indígena Yokone Kopenoti; Marcha Mundial das Mulheres (MMM); Conselho Estadual dos Direitos da Criança, Infrator – UNEIS; Conselho Tutelar Norte / Sul / Centro;   Aflora Aliança Feminista; Articulação de Mulheres Brasileiras de MS; Conselho Estadual dos Direitos da Mulher; Bem Mulher; SAS;Articulação de Mulheres Brasileiras de MS; 27ª e 28º Promotoria de Justiça – Vara da Infância e da Juventude; 47ª e 48 º Promotoria de Justiça – Vara de Violência Doméstica Contra a Mulher de Campo Grande/MS; Ser Mulher;  PSB - Mulher;  IBISS/CO;Conselho Municipal dos Direitos e Defesa dos Povos Indígenas  e Associação das Travestis de Mato Grosso do Sul (ATMS).
Marinete Pinheiro
Assessoria de imprensa da vereadora

Mais lidas

Faculdades de Medicina no Paraguai: Universidade USCA abre 280 vagas para curso de medicina e inscrições já estão abertas.

Veja a relação dos candidatos a vereador em Dourados com número que aparece na urna

Proprietários são notificados para adequação das calçadas em Dourados