Fwd: Matéria - Imprescindível no agronegócio, economia foi assunto de palestras

Economia foi o assunto na manhã desta sexta-feira (17) no auditório do Parque de Exposições de Dourados, reservada para o Seminário de Assuntos Econômicos. Depois da palestra de Edson Eugênio Senhorini, gerente de Negócios no Mercado Agropecuário no MS, do Banco do Brasil, a economista Victória Coates Werneck, mestre em economia pela PUCRJ (Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro), trazida pelo Sicredi Centro Sul, trouxe um panorama da economia brasileira na palestra "Cenário Macroeconômico 2013: Crescimento e Inflação – Limites do Possível".
A economista da Icatu Seguros iniciou fazendo um panorama também da economia mundial, em especial da União Europeia, dentro de uma crise, e dos Estados Unidos, que tem se recuperado de outra.
Victoria lembrou da importância de saber lidar com decisões enquanto que estas crises não atinjam em cheio o Brasil, e taxou: "É evidente que no Brasil há problemas de gerência da economia. O país não cresce e a inflação permanece, além de investimentos serem estrangulados por impostos", disse.

Victoria lembrou da divisão do PIB mundial entre os países que movimentam a economia – EUA, União Europeia, Brics e Japão – e ressaltou que apenas EUA, UE e Japão detém 53% do PIB do mundo inteiro. "Se eles tem crises, nós devemos estar atentos", alertou.
No panorama de crescimento, porém, o Brasil tem pecado, segundo Victoria, e isso pode representar grandes problemas. A economista salientou que no país há muitos empregos, mas a maioria na geração de serviços. "Serviços a gente não exporta. O Brasil precisa investir", disse, lembrando ainda que serviços puxam a inflação.
E se o Brasil exporta comodities, é mais do que necessário que sejam investidos muitos recursos em infraestrutura – de portos, estradas, ferrovias, aeroportos – , mas, segundo Victoria, decisões erradas tem feito que investidores engavetem projetos. "É só lembrar da pavimentação da BR 163, no norte, que não sai há trinta anos", disse.
Os produtores, economistas, estudantes e pesquisadores presentes puderam então ter uma ideia de como melhorar a condição do país. A palestrante fez questão de estabelecer que as decisões partem de todos e que é necessário baixar inflação, melhorar a infraestrutura e dar condições a investidores para que o Brasil seja competitivo, e isso atinge diretamente a produção rural. "Se o Brasil tem um caos logístico, como vai exportar o que da 34% do PIB?", questionou.
A palestrante veio a Dourados pela segunda vez em evento do Sicredi. No auditório do Parque, a palestra foi parceria entre o Sindicato Rural de Dourados e o Sicredi.

Foto: DHE Produções
Legenda: A economista Victória Coates Werneck, mestre em economia pela PUCRJ (Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro), trazida pelo Sicredi Centro Sul


Luiz Radai
Jornalista

Mais lidas

Faculdades de Medicina no Paraguai: Universidade USCA abre 280 vagas para curso de medicina e inscrições já estão abertas.

Veja a relação dos candidatos a vereador em Dourados com número que aparece na urna

Proprietários são notificados para adequação das calçadas em Dourados