Governo deve vistoriar praças antes de entregá-las em Dourados, defende Ishy

O vereador Elias Ishy (PT) defende que o Governo de Mato Grosso do Sul vistorie as praças do Izidro Pedroso, "Feliciano Vieira Benedetti", e do Jardim Canaã III, "José Guerreiro – Velho Tatau", em Dourados, antes de entregá-las à população. Segundo o parlamentar, existe uma série de irregularidades na obra, sobretudo da segunda unidade. Ambas devem ser inauguradas no sábado (25) pelo governador André Puccinelli.

Em visita à Praça do Canaã III acompanhado por moradores, Ishy constatou problemas sérios que podem por em risco a integridade física dos usuários. No parquinho, por exemplo, faltam as borrachas para reduzir o impacto da queda das crianças. Esse é um problema que, segundo a empreiteira responsável pela obra, só será resolvido na próxima semana, já que a empresa que fabrica os materiais está instalada em São Paulo.


Mas existem outras falhas. Alguns brinquedos são ainda mais perigosos, como o tobogã, que tem sua saída de frente às barras de ferro de outro aparelho, o que não dá margens para as crianças escorregarem sem que haja sérios riscos de acidentes.

A entrada para a quadra poliesportiva não dispõe de acessibilidade para cadeirantes. No local onde fica a abertura do alambrado que a cerca, uma mureta com mais de 20 centímetros é um obstáculo para quem quer adentrar. Do outro lado, justamente onde o acesso é plano, a cerca foi instalada, obstruindo a passagem.

Essa série de problemas estruturais não é novidade para os moradores da região e pode ser constatada por quem estiver disposto a ver. O problema é que ocorre numa obra pública que custou R$ 706,8 mil e que está prestes a ser entregue pelo Governo com status de 100% concluída e pronta para utilização.

Além disso, um problema comum às duas praças diz respeito ao campo de futebol. Ambos têm terreno irregular. A empreiteira alega que a planilha encaminhada pelo governo estadual previa apenas o preparo da terra para colocação das placas de grama. O ideal, segundo o responsável pela obra, seria promover um recobrimento de areia, adubo e roçada, entre outros procedimentos. Isso elevaria o custo por metro dos R$ 6,20  gastos para R$ 22,00.

Orçada em R$ 564,4 mil, a Praça do Izidro Pedroso, embora enfrente menos problemas estruturais, é alvo constante de vandalismo e se tornou ponto de encontro para usuários de drogas. O local já foi pichado, teve torneiras e lâmpadas arrancadas e o bebedouro de mármore quebrado. Por esse motivo, Elias Ishy solicita também que a prefeitura providencie vigias para atuação nas duas praças, a fim de evitar novos prejuízos arcados com dinheiro público.

Legenda –
Entrada da quadra poliesportiva na Praça do Canaã III possui uma mureta que impede a acessibilidade de cadeirantes, uma vez que a cerca foi instalada no local originário de acesso (Foto: Divulgação)

Mais lidas

Faculdades de Medicina no Paraguai: Universidade USCA abre 280 vagas para curso de medicina e inscrições já estão abertas.

Veja a relação dos candidatos a vereador em Dourados com número que aparece na urna

Proprietários são notificados para adequação das calçadas em Dourados