Abuso e exploração sexual serão temas de Ato Público em Dourados

Com o tema "Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes"' a Comissão de Direitos Humanos da Câmara de Vereadores, realizará um Ato Público na quarta-feira (26) às 19h. O objetivo do evento é conscientizar sobre o Dia Municipal do Enfrentamento instituído no dia 29 de junho e sensibilizar a população sobre os problemas que envolvem a exploração sexual.
Para o vereador Dirceu Longhi (PT), presidente da Comissão, o abuso e a exploração sexual precisam ser combatidos com políticas públicas que sejam colocadas em prática por todos. "A realidade da infância e da adolescência no Brasil exige que tenhamos atitudes firmes e responsáveis. A única forma de proteger é ficar atentos a estas questões, já que os abusadores são sempre pessoas próximas", disse o vereador.

O evento será realizado em parceria com o COMCEX (Comitê Municipal de Enfrentamento da Violência e de Defesa dos Direitos Sexual de Crianças e Adolescentes) que é a instância responsável pelo monitoramento e implementação do Plano Nacional de Enfrentamento à Violência Sexual Infantojuvenil.
De acordo com o coordenador do Comitê, Rogério Fernandes, o ponto forte do COMCEX é propositivo e mobilizador. "A nossa missão é formular estratégias, defender os direitos sexuais de crianças e adolescentes e realizar diferentes ações para evitar o abuso", enfatizou.
Rogério Fernandes disse ainda, que o abuso sexual é uma triste realidade que ocorre em todas as classes sociais e difícil de ser descoberto. "Os Conselhos Tutelares atuam mais junto às famílias de baixa renda, mas isso não significa que nas famílias mais ricas o problema não ocorra. É preciso sensibilizar toda população", lembrou o coordenador do Comitê.
Segundo a coordenadora do CREAS (Centro de Referência Especializado de Assistência Social), Marisia de Paula Brandão, a maioria dos casos não é denunciado. "Identificar o abuso ou a exploração é somente o primeiro passo. É preciso denunciar e exigir que a criança ou adolescente receba os cuidados médicos necessários e o tratamento psicológico para que possa se recuperar desse trauma", finalizou Marisia.

Mais lidas

Faculdades de Medicina no Paraguai: Universidade USCA abre 280 vagas para curso de medicina e inscrições já estão abertas.

Veja a relação dos candidatos a vereador em Dourados com número que aparece na urna

Proprietários são notificados para adequação das calçadas em Dourados