Dourados discute novo modelo de transporte coletivo

Tarifa está congelada há dois anos e prefeito Murilo quer opinião da sociedade sobre um novo sistema, mais eficiente e moderno, para transportar a população

A Prefeitura de Dourados discute desde o início deste ano um novo modelo de transporte coletivo para a cidade. O sistema atual é antigo, ultrapassado e muito ruim, segundo o próprio prefeito Murilo, defensor das mudanças que estão sendo debatidas com a sociedade e agora também com os universitários.


Principalmente em função dessa realidade, a tarifa de transporte público está congelada em R$ 2,50 desde outubro de 2011. Em fevereiro deste ano, a empresa pediu aumento, mas o prefeito rejeitou e manteve a tarifa congelada quando ainda não se falava em movimentos nacionais contra aumento da passagem de ônibus.

Em média, a empresa que explora o serviço de ônibus urbano em Dourados faz 600 mil transportes de passageiros por mês e a gratuidade chega a 40%. Pessoas com deficiência, estudantes do ensino fundamental que não conseguem vaga em escola perto de casa, idosos e policiais têm passe-livre.

Os universitários pagam meia passagem, ou seja, R$ 1,25. O passe-livre para os acadêmicos acabou há pelo menos oito anos. Dos cerca de 20 mil estudantes de ensino superior matriculados nas universidades de Dourados, pelo menos três mil se beneficiam da meia passagem.

O contrato com a empresa que explora o serviço há décadas vem sendo renovado há pelo menos 15 anos sem levar em conta a nova realidade da cidade, mas agora finalmente a prefeitura prepara uma nova concorrência pública.

A cidade mudou muito nesse tempo, cresceu, tem outra característica, se tornou polo regional de serviços, de educação, de saúde e de comércio. O número de passageiros e de linhas nos bairros praticamente triplicou, exigindo melhorias.

NOVO MODELO
No início deste ano a prefeitura contratou uma empresa de engenharia e urbanismo, do Rio Grande do Sul, especializada em transporte público. A empresa fez uma pesquisa com os usuários de ônibus para identificar as principais reclamações e as principais dificuldades, em saber o que os douradenses pensam e sugerem sobre o transporte coletivo.

O resultado da pesquisa e algumas ações já em andamento para o novo sistema foram apresentados na primeira audiência pública sobre o tema, realizada na Câmara de Vereadores no dia 27 de maio. Novas audiências serão feitas para que representantes da sociedade dêem opiniões e ajudem a prefeitura a escolher o modelo ideal. Recentemente, o prefeito Murilo convidou os universitários a participarem das discussões.

REGRAS
A intenção do prefeito é concluir essas discussões, elaborar o projeto sobre o novo modelo de transporte coletivo e aí sim abrir a concorrência pública, com regras definidas sobre qual sistema a empresa vencedora terá de obedecer; com quantos ônibus terá de operar; se serão apenas ônibus 0 km e equipados com chip para rastreamento através de um aplicativo baixado no smartphone ou tablet; qual o valor da tarifa e se terá ou não passe-livre para estudantes.

O prefeito Murilo trabalha com o planejamento de colocar esse novo modelo de transporte coletivo em prática em 2014. "Por isso vamos aproveitar esse segundo semestre para concluir as discussões com a sociedade, definir o sistema e realizar a concorrência pública. Também estamos aguardando a liberação de R$ 52 milhões do Ministério das Cidades para mobilidade urbana, que inclui recuperação de linhas de ônibus e reforma e construção de pontos", afirmou o prefeito.

Legendas
Pesquisa feita dentro dos ônibus e nos pontos identificou principais gargalos do transporte coletivo de Dourados

Audiência pública realizada no dia 27 foi primeiro encontro para discutir novo modelo de transporte coletivo
Crédito: A. Frota

Mais lidas

Faculdades de Medicina no Paraguai: Universidade USCA abre 280 vagas para curso de medicina e inscrições já estão abertas.

Veja a relação dos candidatos a vereador em Dourados com número que aparece na urna

Proprietários são notificados para adequação das calçadas em Dourados