Depois de seis anos, obras no Hospital da Vida podem iniciar

Recursos que custeiam a obra foram garantidos pelo deputado Geraldo Resende em parceria com a Prefeitura em 2007. Administração vai contratar empresa para confeccionar os projetos de engenharia para que obra saia do papel
O Hospital da Vida já tem novo projeto arquitetônico para a revitalização completa e ampliações de leitos e serviços. As obras serão custeadas em parceria entre o deputado federal Geraldo Resende, Governo do Estado e Prefeitura de Dourados. As intervenções na unidade especializada significarão um investimento de R$ 3,7 milhões, dos quais R$ 1,09 milhão foi viabilizado pelo deputado Geraldo Resende (PMDB), no ano de 2007 e R$ 110 mil são de contrapartida da Prefeitura.  Outros R$ 1,5 milhão restantes foram garantidos pelo Governo do Estado no MS Forte II. O aporte teve que ser assegurado porque o projeto precisou passar por atualização tendo em vista o encarecimento da obra passados seis anos, quando o deputado Geraldo Resende garantiu os investimentos. 

Para que as obras tenham início, a Prefeitura de Dourados precisa resolver pendências no projeto de engenharia, descritas pelo Ministério da Saúde. O município fará licitação para a escolha da empresa responsável pelas adequações nos projetos de engenharia e complementares, como o elétrico, hidráulico, bem como as normatizações do Corpo de Bombeiros. Assim que finalizado será encaminhado para o Ministério da Saúde.
De acordo com Geraldo Resende, o objetivo da ampliação é superar a crise de falta de leitos, além de garantir a melhora do serviço de urgência e de emergência para Dourados e região. Para atender de forma adequada a população Dourados, o projeto prevê a divisão da estrutura do Hospital da Vida em dois eixos, um para pacientes graves e outro para pacientes com menor gravidade. Esta nova lógica de fluxos melhorará a atenção ortopédica e separa o atendimento infantil do adulto.
De acordo com o projeto, os serviços de urgência e emergência contemplarão também sala de classificação de risco, de isolamento, de serviço social, de sutura, de inalação, de utilidades, de gesso, administrativa, dois consultórios médicos, três leitos pediátricos e um consultório ortopédico, além de outros espaços.
A sala de resguardo terá oito leitos. "Todos os detalhes das modificações que serão implementadas na reforma e ampliação foram discutidas pelo corpo técnico do Hospital. Enfermeiros, médicos, radiologistas opinaram sobre o projeto arquitetônico construído pela Secretaria Estadual de Saúde em parceria com o Município", explicou o parlamentar.
A Unidade de Terapia Intensiva (UTI) será totalmente reformulada para atender o que preconiza a Pasta da Saúde. A nova unidade será composta por 10 leitos, sendo um isolamento. Todos os leitos atendem as dimensões exigidas, e um salão de terapia intensiva coletivo. Nove leitos estão em boxes individualizados por cortinas divisórias e dispostos de tal forma que possibilite visualização e monitoramento pela equipe de cuidado. Desta forma, o posto de enfermagem também está disposto de modo a possibilitar o adequado processo de trabalho.
 Na conclusão da edificação o Centro Cirúrgico contará com quatro salas de cirurgia, cinco leitos, área de recepção, vestuários masculino e feminino, além de uma sala de utilidades. Para toda esta nova estruturação o Governo do Estado destinará mais R$ 1,5 milhão, solicitado pelo parlamentar em conjunto com o prefeito Murilo Zauith e o secretário Municipal de Saúde Sebastião Nogueira. As novas pendências a serem corrigidas já estão em posse da Administração Municipal, que já solicitou prorrogação do prazo de 15 dias para responder ao Ministério da Saúde. 
O Executivo Estadual assumiu a responsabilidade da Prefeitura do projeto referente a revitalização do Hospital da Vida em 2012. Os recursos alocados por Geraldo estão à disposição da Prefeitura de Dourados desde 2007, mas as diligências detectadas pelo departamento técnico do Ministério da Saúde não foram atendidas em tempo. Com o projeto arquitetônico estrutural pronto, resta agora os projetos de engenharia e os complementares, como o hidráulico e o elétrico.
 "Foi uma exigência da população de Dourados que incluíssemos o Hospital da Vida no MS Forte II. Já havíamos conquistado o valor de R$ 2,2 milhões há mais de seis anos e, com o passar dos anos, a obra encareceu. Fico feliz em ver que o governador tenha atendido nossa solicitação. Inaugurei o Hospital da Vida, ainda como Hospital da Mulher, em dezembro de 2000, quando era secretário de saúde do Estado, hoje lutamos para que esta Unidade seja  referência no atendimento de urgência e emergência para Dourados e Região", finaliza Resende.
Foto: Ilustração
Leg:
Novo projeto arquitetônico depende da prefeitura de Dourados para início das obras.
  

Mais lidas

Faculdades de Medicina no Paraguai: Universidade USCA abre 280 vagas para curso de medicina e inscrições já estão abertas.

Veja a relação dos candidatos a vereador em Dourados com número que aparece na urna

Proprietários são notificados para adequação das calçadas em Dourados