Lula Ricardi apresenta exposição “Admirável Mundo Novo” nesta terça-feira no MARCO

-->

O artista gráfico e fotógrafo Lula Ricardi desembarca na Capital para a abertura da sua exposição "Admirável Mundo Novo", que reúne fotos, gravuras e instalação. O evento acontece na terça-feira, dia 13 de agosto, e faz parte da Exposição Individual do MARCO – Museu de Arte Contemporânea, em Campo Grande.
"É um passo importante, tanto pelo trabalho estar sendo exposto no Marco, um espaço de referência em arte contemporânea, como também ser na cidade que foi responsável por grande parte de minha formação", afirma Lula, que é nascido na Capital Paulista e por muito tempo radicou-se na Capital.
Ao todo são 14 fotografias, 26 gravuras e 3 instalações em Admirável Mundo Novo. Lula vem trabalhando nessa experiência há mais de 1 ano, desde pesquisa e elaboração. A exposição fica até o mês de setembro no MARCO.





ADMIRÁVEL MUNDO NOVO
Em 1931 o inglês Aldous Huxley de forma ficcional criou sua obra mais importante e conhecida; o livro "Admirável Mundo Novo" narra uma civilização de humanos que eram concebidos iguais e controlados desde sua geração por um regime totalitário. Dividida em castas, essa sociedade era excessivamente ordenada e mentalmente condicionada em prol de uma aparente harmonia coletiva.
Na obra o autor mostra uma fábula futurista e desumanizada cada vez mais parecida com os dias atuais. Vivemos tempos difíceis em um mundo cada vez menos preocupado com o equilíbrio e o pensamento humanista, que estabelece o consumo e a massificação como condição de existência e salvação, buscando a padronização e a ordenação da sociedade através de grupos sociais, econômicos ou ideológicos.
Nesse pensamento escalonado de tudo, padrões e corpos são produzidos como números e atirados ao "super-mercado", uma paródia viva das previsões anunciadas, no trajeto, a pseudo-máquina de confeccionar pessoas, sensos éticos e bens se retroalimenta e cada vez mais empurra o mundo com aparatos quase sempre tortuosos e opressores. Nessa reprodução infinita, as contradições ao emparelhamento surgem nos conflitos, nos dilemas pessoais e no próprio sentido existencial quando a morte nos leva rumo ao desconhecido. Aqui a homogeneidade se concretiza; todos morremos e viramos matéria decomposta.
A exposição abstrai através de fotografias, gravuras e instalações essa massificação e o resultado da lógica estabelecida. Ao mesmo tempo que somos os vetores ativos do processo, somos também proporcionalmente a matéria atingida e sufocada, recebendo essa diluição de nós mesmos. Referenciado pela obra escrita no século passado, tenta se criar uma ponte abstrata entre a ficção futurista e a realidade.
SOBRE O AUTOR
Lula Ricardi mora em São Paulo, cidade onde nasceu. Formou-se em arquitetura e urbanismo e atua nas artes visuais com trabalhos específicos, principalmente em gravuras gráficas e fotografia, onde investe m projetos experimentais e contemporâneos.
Atualmente está expondo também, no Salão de Arte Contemporâneo de Jataí, onde foi selecionado com os retratos de "Ensaio para Sonha I e II". Com o mesmo ensaio que virá ate Campo Grande, a "Admirável Mundo Novo", Lula já esteve em vernissage por São Paulo, em outubro do ano passado.
Em 2009, participou da exposição Francisco Orjales, 20 anos de Brasil, apresentando série de gravuras digitais e também, participou de exposição coletiva na Galeria Nuvem em São Paulo. Tem projetos desenvolvidos em design gráfico cultural onde já fez trabalhos para festivais de cinema, projetos de livros e capas de CD's. Teve trabalhos selecionados para duas edições da Bienal de Design Gráfico-ADG.

Mais lidas

Faculdades de Medicina no Paraguai: Universidade USCA abre 280 vagas para curso de medicina e inscrições já estão abertas.

Veja a relação dos candidatos a vereador em Dourados com número que aparece na urna

Proprietários são notificados para adequação das calçadas em Dourados