Departamento de Habitação esclarece duplicidade na lista de contemplados


O Departamento de Habitação da Prefeitura de Dourados, respondendo a questionamentos feitos através dos meios de comunicação sobre duplicidade de nomes de contemplados na lista do sorteio da casa própria, realizado sexta-feira dia 20, informou ser comum ocorrer essa situação. O programa tem a mulher como foco e, desta forma, as inscritas podem participar de todos os grupos de sorteio, desde que preencham os requisitos.




Zelinda Fernandes, do setor de Habitação, disse que em todos os sorteios saem nomes duplicados. Ela explica que uma mulher que é considerada chefe de família, concorre nesse grupo e ainda na classificação "todos". Se essa mesma pessoa recebe atendimento da Assistência Social pode ser considerada como de "extrema vulnerabilidade", ou seja, entra num terceiro grupo e tem a possibilidade de ser sorteada pela terceira vez.



A servidora da Habitação cita nomes como os de Adayana Oliveira dos Santos, Nadir Crespín e Rosangela Lemes dos Santos, que foram sorteadas no grupo de extrema vulnerabilidade e de mulher chefe de família. Marcela Aparecida dos Santos Ojeda foi contemplada na categoria "todos" e em "chefe de família". Outro exemplo é de Cleide Moraes de Assis que saiu em "extrema vulnerabilidade" e "acampados da Vila Mariana". O mesmo ocorreu com Deyse Daiannes Silveira Martins, sorteada no grupo "extrema vulnerabilidade" e no grupo "todos".



Conforme o Departamento de Habitação, no total estão cadastrado e participando do sorteio das casas 9.187 pessoas com renda até R$ 1.600,00.



Para esse grupo são sorteadas 25% das unidades habitacionais. Dentro desse grupo, existem 3.084 mulheres enquadradas como chefes de família. Elas participam também do sorteio dos outros grupos, para os quais são disponibilizados os outros 75% do total de moradias.



Estão incluídos ainda no total de cadastrados, 647 idosos que participam também de sorteio separado, para concorrer a 10% das casas. O mesmo acontece com 343 deficientes ou com dependentes deficientes, que têm 5% de casas e, por último, as pessoas assistidas pela Assistência Social e que comprovadamente vivem em extrema vulnerabilidade social. Nesse grupo são 236 nomes para 20% das unidades.



Zelinda Fernandes explica ainda que o fato de ter o nome sorteado duas vezes não causa qualquer prejuízo, já que para cada grupo é feito o sorteio de nomes reservas. Pela ordem de sorteio, esses reservas ocupam a condição de titulares no lugar do nome em duplicidade. Ela afirma que a duplicação não implica na contemplação com duas ou mais casas, mesmo porque o sistema de controle da Caixa Econômica Federal não permitiria que a mesma pessoa recebesse duas casas.



O Departamento de Habitação ressalta que todo o processo de sorteio é acompanhado por uma comissão de representantes do poder público e da sociedade organizada. Isso ocorre desde o momento em que os cartões com os nomes são colocados em caixas devidamente lacradas, até o momento da realização do sorteio, que é público. Segundo Zelinda, esse é mais um serviço realizado pela prefeitura com total transparência.

Mais lidas

Faculdades de Medicina no Paraguai: Universidade USCA abre 280 vagas para curso de medicina e inscrições já estão abertas.

Veja a relação dos candidatos a vereador em Dourados com número que aparece na urna

Proprietários são notificados para adequação das calçadas em Dourados