HU/UFGD inicia processamento de leite humano


Nesta quinta-feira (19), o Hospital Universitário da UFGD (HU/UFGD) iniciou oficialmente o processamento de leite humano coletado pelas doadoras externas. Com este serviço, a instituição passa a abrigar toda a estrutura do Banco de Leite Humano de Dourados, que anteriormente funcionava em parceria com o Hospital da Vida (HV). Devido às obras de reforma no HV, o HU acolheu os laboratórios de pasteurização e microbiologia e a recepção do leite de coleta externa. Nas últimas semanas, a direção do hospital providenciou uma reforma em caráter de urgência para acolher a nova estrutura.
Ontem foi feito o primeiro processamento de leite humano pela equipe do HU/UFGD. Na nova estrutura, a equipe recebe o leite cru que passa por pasteurização, análise microbiológica e depois é liberado para alimentação dos bebês internados na UTI neonatal e na UCI (Unidade de Cuidados Intermediários) do HU/UFGD. A previsão é que o processamento seja feito de duas a três vezes por semana, com uma média mensal em torno de 70 litros de leite humano pasteurizado.

A responsável técnica pelo Banco de Leite Humano de Dourados, a nutricionista Tailci Cristina da Silva, comemora a transferência do setor para o HU/UFGD. “Agora que dispomos da estrutura completa do Banco de Leite, temos condições mais apropriadas de intensificar as campanhas de doação e aumentar o volume de leite coletado e pasteurizado”, diz ela.
Além da coleta, processamento e distribuição do leite humano doado, o Banco de Leite de Dourados também executa um importante trabalho de incentivo à amamentação, com acompanhamento das mães com bebês internados na UCI e UTI neonatais do HU. Todas as mães com bebês internados nestas unidades são encaminhadas à Sala de Ordenha e recebem orientações sobre as vantagens do aleitamento materno, as técnicas de ordenha e armazenamento do leite coletado. “Todas elas são incentivadas pela equipe com relação à importância da amamentação”, comenta Tailci.
Por causa deste trabalho, uma grande parte das doadoras externas são mães que já tiveram seus filhos internados na UCI ou UTI neonatal. Enquanto o bebê está internado, a doação é feita pela mãe de forma exclusiva para a criança; depois que o filho recebe alta, se houver leite excedente, a mãe pode fazer a doação externa para pasteurização.
Banco de Leite
Hoje, o Banco de Leite possui em torno de 30 a 40 doadoras externas, que fazem a coleta do leite em casa. O leite doado é acondicionado congelado em potes de vidro esterilizados, cedidos pelo Banco de Leite. A coleta do leite doado é feita na casa das doadoras três vezes por semana através de parceria com o Samu e o Corpo de Bombeiros.
No HU/UFGD, o Banco de Leite Humano é composto por uma equipe multidisciplinar, formada por nutricionistas, psicóloga, farmacêutica, fisioterapeuta, fonoaudióloga, técnica em enfermagem, uma técnica em Banco de Leite e um médico responsável.

Fotos: Assessoria
Legenda: Pasteurização do leite humano agora é feita no HU/UFGD

Mais lidas

Faculdades de Medicina no Paraguai: Universidade USCA abre 280 vagas para curso de medicina e inscrições já estão abertas.

Veja a relação dos candidatos a vereador em Dourados com número que aparece na urna

Proprietários são notificados para adequação das calçadas em Dourados