Virginia entra com representação no MPF contra secretários municipais

Após a circulação de CIs (Comunicado Interno) entre os secretários de Administração, João Azambuja, e o secretário de Saúde, Sebastião Nogueira, que relatada uma reunião onde ocorreu a suspensão do conserto de ambulância e viaturas do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), a vereadora Virginia Magrini, (PP) entrou com uma representação no MPF (Ministério Público Federal) contra os chefes de ambas as pastas. Segundo Virginia, na CI n°2022/2013, de 03 de setembro desde ano, o secretário de Administração suspende a realização de consertos em todos os veículos das diversas secretarias, inclusive as ambulâncias e viaturas do Samu.

"É um absurdo que um secretário de Administração faça isso e alegando que, tal atitude, foi feita com consentimento e em reunião com demais chefes de outras pastas, como ficou explícitos n° 2022/2013, encaminhado à secretaria de Saúde", enfatizou Virginia.
Na representação feita ao MPE, a parlamentar alega que há mau uso do dinheiro público, além dos danos causados a população que precisa dos atendimentos feitos pelas ambulâncias e viaturas do Samu.
"O secretário de Saúde afirmou que o município não possuía ambulância nem mesmo para levar pacientes para Campo Grande. Ele afirma que não tinham condições de transferir uma pessoa para a Capital nem se fosse feito com encaminhamento através de ordem judicial", ressaltou a vereadora.
Para Virginia Magrini, que tem denunciado as mazelas ocorridas na Saúde em Dourados, os administradores da cidade estão 'passando por cima' até mesmo da Constituição Federal.
"Está na Constituição que a saúde é um direito de todos e dever do Estado, garantido mediante as políticas sociais e econômicas. Em Dourados nossos administradores esqueceram-se disso e estão deixando os problemas relacionados à saúde sempre em segundo caso", advertiu a progressista.
A vereadora solicitou ao MPF que seja feita uma investigação nas pastas e que os responsáveis por tais atitudes contra a população respondam em uma ação penal.
 "Temos que dar um jeito em nossa cidade. A administração pública não pode brincar com a vida das pessoas. Um atendimento que não é feito pelas ambulâncias ou viaturas dos Samu pode ocasionar na perda de uma vida e vamos continuar lutando para que isso não aconteça", conclui Virginia.

Legenda: Virginia Magrini está indignada com demora na manutenção de ambulâncias e viaturas do Samu.

Foto: Tiago Morais

Mais lidas

Faculdades de Medicina no Paraguai: Universidade USCA abre 280 vagas para curso de medicina e inscrições já estão abertas.

Veja a relação dos candidatos a vereador em Dourados com número que aparece na urna

Proprietários são notificados para adequação das calçadas em Dourados