ACED e FAEMS apóiam mobilização nacional a favor dos produtores

A ACRISSUL - Associação dos Criadores de Mato Grosso do Sul, a Famasul - Federação da Agricultura e Pecuária de MS, e a FENAPEC - Frente Nacional da Agricultura e Pecuária de MS, promovem no dia 7 de dezembro, às 14h, no Tatersal da Acrisul em Campo Grande, o lançamento de uma mobilização nacional com o objetivo de conter a onda de invasões de terras produtivas e legalizadas por indígenas, o que vem acarretando irreparável insegurança jurídica para o campo.

Todos esses problemas acabam por sua vez afetando o agronegócio como um todo, uma vez que os elos da cadeia produtiva trabalham em sintonia, e esses conflitos causados pelas invasões de terras afetam os investimentos e a capacidade do produtor de fazer aquilo que de fato ele sabe: produzir alimentos.
O presidente da Associação Comercial e Empresarial de Dourados (ACED), Antonio Nogueira disse que retirar o produtor de sua terra, devidamente legalizada e produtiva para entregar aos índios, não resolve o problema da população indígena de nosso Estado.


"Quero fazer um chamamento para que nosso empresariado participe dessa mobilização, todos nós queremos que se resolva o problema dos povos indígenas, no entanto não concordamos com a desarticulação de uma classe extremamente produtora. Entregar a terra aos índios, destruindo anos de trabalho e investimento feitos pelo produtor, é realmente um absurdo, temos experiências que não deram certo e terras que eram produtivas hoje não produzem mais nada, é preciso repensar e encontrar meios que não penalizem os produtores rurais", disse Nogueira.

A mobilização será marcada pela promoção de um evento, o "Leilão da Resistência", cujos recursos provenientes de seus resultados serão utilizados para patrocinar diversas ações que serão deflagradas em seguida para mobilizar a opinião pública, a sociedade como um todo e a classe política para que a lei seja cumprida e o direito à propriedade seja respeitado.

Segundo o presidente da Federação das Associações Empresariais de Mato Grosso do Sul (FAEMS), Antonio Freire, o respeito da propriedade deve ser respeitado e a mobilização pretende garantir esse direito. "Não somos contra os índios, somos a favor da justiça e do cumprimento da Lei, não adianta dar terra sem oferecer condições de produção, o maior exemplo nacional, em Roraima, na Raposa Terra do Sol, retiraram os produtores de suas terras, hoje eles são vendedores ambulantes e os índios mendigos, por isso apoiamos essa mobilização em nosso Estado", disse Freire.

Foto: Assessoria
Legenda: Presidente da ACED, Antonio Nogueira, é a favor da mobilização em favor dos produtores rurais

Mais lidas

Faculdades de Medicina no Paraguai: Universidade USCA abre 280 vagas para curso de medicina e inscrições já estão abertas.

Veja a relação dos candidatos a vereador em Dourados com número que aparece na urna

Proprietários são notificados para adequação das calçadas em Dourados