Na contramão do país e de MS, emprego cresce em Dourados

O município de Dourados criou em maio 321 novos empregos, resultado de 2.439 contratações contra 2.118 desligamentos. O saldo é igual ao de Campo Grande, cidade que tem quatro vezes mais população. A capital criou apenas dois empregos a mais que Dourados em maio. Os dados são do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados).

O crescimento em Dourados caminha na contramão do resultado do Estado, que fechou 406 postos de trabalho. É o terceiro pior resultado de criação de empregos nos últimos 12 anos em Mato Grosso do Sul. Os piores são os meses de maio de 2007, quando o saldo foi negativo em 628 e de 2006, quando criou apenas 362 empregos.


O resultado do país foi pior ainda. Às vésperas da Copa do Mundo, e contrariando as expectativas do governo, o Brasil teve o pior saldo de criação de vagas de trabalho com carteira assinada para um mês de maio desde 1992. O total de empregos formais gerados no mês foi de apenas 58,8 mil, contra 72,02 mil do mesmo mês do ano passado.

Em Dourados o crescimento na geração de empregos em maio em relação ao mês de abril, quando foram criados 278, é de 15,46%. O setor de serviços gerou 183 empregos e lidera na abertura de vagas na cidade. Em seguida vem a indústria de transformação, com 107, e a construção civil, com 51. O Comércio fechou 25 postos de trabalho.

Depois de Campo Grande e Dourados na criação de empregos, vem Naviraí com 80; Coxim com 58; Ponta Porã com 46; Rio Brilhante com 42 e Amambai com 34. O pior no emprego no Estado foi Três Lagoas, que fechou 1.143 postos de trabalho. Em seguida vem Nova Andradina, que fechou 153, e Sidrolândia, que fechou 43. O Caged investiga o emprego formal em 14 cidades de MS.

DESENVOLVIMENTO
A manutenção da geração do emprego de forma constante em Dourados está diretamente ligada à política econômica desenvolvida pelo prefeito Murilo. Desde que assumiu a administração, Murilo tem criado programas de incentivo e apoio ao comércio, serviços e indústria e capacitação de profissionais.

Mas, o principal fator foi o restabelecimento da credibilidade do município com a classe empresarial, com a implantação de uma gestão séria. A partir daí os investimentos foram retomados e Dourados recebe hoje uma média de quatro empresas por dia. As principais empresas e franquias do Brasil estão de olho em Dourados.

Programas criados por Murilo, como o "Polo de Serviços do Setor Sucroenergético de Dourados e Região", o APL Metalmecânico e o APL de Lingerie Moda Dourada incentivam a ampliação do parque empresarial do município. O programa Qualifica Dourados prepara os trabalhadores para ocupar os postos de empregos criados.

Ao mesmo tempo, o prefeito se preocupa com a infraestrutura, melhorando constantemente o aeroporto para a ampliação dos voos, abrindo novos acessos, asfaltando a cidade e recapeando ruas para garantir melhores condições para o empresário.

Através da Semdes (Secretaria de Desenvolvimento Econômico Sustentável), a prefeitura oferece apoio ao empresário na Sala do Empreendedor e pelo Ciat. Pelo programa "Alvará em 5 dias", as secretarias de Fazenda (Central do Cidadão), Infraestruturara e Desenvolvimento, Saúde (Vigilância Sanitária) e Imam agilizam a tramitação e desburocratização dos processos. O Corpo de Bombeiros também é parceiro no processo de desburocratização, favorecendo a vida do empreendedor.

O resultado das ações conjugadas é uma cidade que cresce e se desenvolve, atraindo empresas de todas as regiões do Brasil, gerando emprego e renda.

Legenda: Setor de serviços gerou 183 empregos em maio em Dourados e lidera na abertura de vagas na cidade
Crédito: A. Frota

Mais lidas

Faculdades de Medicina no Paraguai: Universidade USCA abre 280 vagas para curso de medicina e inscrições já estão abertas.

Veja a relação dos candidatos a vereador em Dourados com número que aparece na urna

Proprietários são notificados para adequação das calçadas em Dourados