Acadêmica da UFGD recebe prêmio de melhor monografia de MS na área de Ciências Econômicas

A acadêmica do curso de Ciências Econômicas da UFGD, Larissa Viscardi Mendonça, recebeu esta semana em São Paulo, o prêmio de melhor monografia de Mato Grosso do Sul, concedido pela Ordem dos Economistas do Brasil. Larissa venceu o prêmio com o trabalho intitulado 'Análise do comportamento da demanda por importações brasileiras de 2000 até 2012', sob orientação do professor doutor Alexandre Bandeira Monteiro e Silva, da Faculdade de Administração, Ciências Contábeis e Economia – FACE/UFGD. Na mesma ocasião, também ocorreu o prêmio Economista do Ano.

A MONOGRAFIA
O trabalho teve por objetivo analisar as influências das mudanças na taxa de câmbio e PIB sobre as importações brasileiras baseado no movimento das variáveis ao longo do tempo no período compreendido de 2000 a 2012, com frequência de dados trimestral.
As principais fontes de dados foram o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada e Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, com método de Mínimos Quadrados Ordinários (MQO) e utilização da correlação, análise descritiva, teste de raiz unitária e teste de Phillips-Perron, análise de autocorrelação e regressão entre as séries.
Os resultados indicaram que as variáveis são inelásticas e estatisticamente significantes sendo que a taxa de câmbio teve uma leve maior influência que o PIB sobre as importações brasileiras no período estudado, contrariando estudos anteriores que demonstravam que o PIB era o maior influenciador das importações, seguido pela taxa de câmbio.
Ao observar o comportamento das variáveis em dois períodos separados, o primeiro de 2000 a 2003, e o segundo de 2004 a 2012, observa-se que no primeiro período, em função de 2001 e da conjuntura econômica internacional, as importações brasileiras sofreram queda e não foram tão influenciadas pelo PIB e câmbio, mas sim por outras variáveis que não estão incluídas no modelo, tais como expectativa com relação ao mundo e incertezas em relação aos Estados Unidos.
Já no segundo período, houve uma ascensão das importações e ocorreu grande oscilação no câmbio devido à crise imobiliária americana de 2008 e pequena oscilação do PIB brasileiro, resultando numa maior influência da taxa de câmbio na variável explicada.
Como conclusão nota-se que os coeficientes PIB e taxa de câmbio, atrelados a outras variáveis, que não foram incluídas neste modelo, são muito importantes para as importações e para o cenário econômico atual, tendo em vista, sobretudo, os impactos dos produtos importados sobre os custos de produção e controle da inflação de um país. Daí a importância de acompanhar a evolução dessas variáveis para se estimar o funcionamento da economia e seu setor externo. ​

Mais lidas

Faculdades de Medicina no Paraguai: Universidade USCA abre 280 vagas para curso de medicina e inscrições já estão abertas.

Veja a relação dos candidatos a vereador em Dourados com número que aparece na urna

Proprietários são notificados para adequação das calçadas em Dourados