Guardas municipais concluem curso de Libras

Guardas Municipais de Dourados concluíram nesta terça-feira (26) o curso de Libras (Língua Brasileira de Sinais). As aulas foram realizadas na sede da Guarda Municipal entre 15 de abril a 26 deste mês.
De acordo com o comandante da Guarda Municipal, João Vicente Chancarek, a intenção foi promover a inclusão social e aprimorar a comunicação dos agentes de segurança pública com os surdos através da Língua Brasileira de Sinais.

"Foi a primeira turma formada por 25 alunos que receberam um curso básico com total de 80 horas de aula. Além de guardas, também participaram como convidados bombeiros, policiais civis e militares", destacou Vicente. 
Ele lembra que todos os que se propuseram a fazer o curso foram voluntários. "Nós pretendemos continuar com as turmas no ano que vem, para que estes que estão fazendo agora aprimorem ainda mais o conhecimento e outros possam ser inseridos", comentou.
O curso foi ministrado em parceria com a Secretaria de Educação, através do Núcleo de Educação Especial. "Eles aprenderam todos os sinais, para poder orientar a auxiliar os surdos numa abordagem em diversas situações. É principalmente uma questão de inclusão social", afirmou o técnico em educação especial do Núcleo e professor do curso, Aurélio da Silva Alencar.
Ele ministrou as aulas ao lado do supervisor da Guarda Municipal e intérprete de Libras Weslei Henklain Ferruzzi, que idealizou o projeto. Além de aulas teóricas, os participantes ainda treinaram o uso prático da língua, simulando situações comuns à atividade dos agentes de segurança pública. "Por exemplo, um surdo vítima de um assalto que vai falar que o assaltante está de camisa branca, para que lado foi; também abordamos atendimentos como pontos públicos, sinais e placas de trânsito e outros", exemplificou Aurélio.
Os alunos também tiveram contato com um surdo durante a aula para praticar o uso da língua. Ele explica que não é só uma questão de aprimoramento dos trabalhos dos agentes de segurança pública, mas também de melhoria da acessibilidade.
Para Vicente Chencarek, a Guarda Municipal tem essa necessidade, o município precisa melhorar a acessibilidade. "Então tiramos o trabalho do papel e foi muito produtivo. É uma forma de encarar o surdo como cidadão que tem acesso a um atendimento de qualidade, e nada melhor que a prefeitura propor isso", destaca.
Ele lembra que os guardas municipais ainda colaboram com órgãos públicos, quando solicitados, para servirem de intérpretes, como Fórum, delegacias, entre outros.
Conteúdo Programático - Durante o curso os participantes estudam os conteúdos, como temas Qual é a pessoa com surdez?; História dos surdos e sua língua de sinais; parâmetros da Libras; Categoria gramaticais da Libras; Pronomes pessoais; Pronomes possessivos; Pronomes demonstrativos e advérbios de lugar; Pronomes interrogativos; Verbos; Adjetivos; Advérbios de tempo; Classificador na Libras e  Relações de sinais às áreas.

Foto: A. Frota
Legenda: Guardas municipais concluem curso de Língua Brasileira de Sinais (Libras) para ajudar a comunidade douradense.

Mais lidas

Faculdades de Medicina no Paraguai: Universidade USCA abre 280 vagas para curso de medicina e inscrições já estão abertas.

Veja a relação dos candidatos a vereador em Dourados com número que aparece na urna

Proprietários são notificados para adequação das calçadas em Dourados