Dourados realiza os primeiros mutirões contra dengue e febre chikungunha de 2015


A Prefeitura de Dourados, através da Secretaria de Saúde começou nesta terça-feira a realizar os primeiros mutirões contra dengue e a febre chikungunha de 2015. Os mutirões começaram pelos bairros onde a infestação o Aedes aegypti foi considerada alta, conforme aponta o Liraa (Levantamento de Índice Rápido para o Aedes aegypti) realizado entre os dias 5 a 9 deste mês.
O primeiro bairro a receber os agentes de saúde do CCZ (Centro de Controle de Zoonozes) foi na região da Vila Sulmat, onde o índice de infestação foi o mais alto, chegando a 5,1%. Pelo menos 80 agentes inspecionaram 2.115 imóveis e localizaram 17 focos de larvas do Aedes aegypti nesta terça-feira.


A coordenadora do CCZ, Rosana Alexandre da Silva, explica que os agentes além de inspecionar os imóveis para verificar se a situação está normal com relação à focos, os agentes orientam o morador sobre os cuidados para evitar a proliferação do mosquito transmissor da dengue e febre chikungunha. Em caso de encontrar focos, os agentes fazem o trabalho químico, de extermínio da larva. Um veículo do CCZ também está passando por esses bairros, durante o mutirão e fazendo a pulverização com inseticida para exterminar o mosquito.
Nesta caso, os moradores são orientados para que deixem as portas e janelas abertas para que o inseticida entre nas casas para matar os mosquitos. "Este período do ano, com o excesso de chuva e calor é o momento propício para eclodir as larvas do mosquito transmissor. Por isso os moradores, além de cuidar de seus imóveis têm que ficar atentos com os vizinhos", orientou Rosana Alexandre.
Nesta quarta-feira, o mutirão está se concentrando na região do Jardim Água Boa, onde a infestação apontada pelo Liraa é de 3%.
Na quinta-feira o mutirão vai se dirigir para a região do Parque do Lago, onde o índice de infestação é de 2,5%. Ela informou que o trabalho de combate a dengue vai continuar intensificado (com mutirões) até passar o período crítico. No entanto, os agentes vão continuar com o trabalho de rotina durante todo o ano.

LIRAA
De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, em Dourados são realizados seis Liraa por ano. O objetivo é identificar os criadouros predominantes e a situação de infestação do município de forma rápida.
Esse levantamento permite o direcionamento das ações de controle para as áreas mais críticas, pois o município é dividido por estratos (grupos de bairro com características semelhantes). Em Dourados, a cidade foi dividida em oito estratos, sendo que os três mais críticos foram da região da Vila Sulmat (5,1), região Jardim Água Boa (3,0%) e região do Parque do Lago (2,5%).
O levantamento feito entre os dias 5 a 9 deste mês visitou 3.404 imóveis e encontrados 101 focos, sendo 99 positivos. A inspeção foi feita em casas, prédios, terrenos baldios e pontos estratégicos, como cemitérios, borracharias, depósitos de sucata e de materiais de construção, entre outros.
Os agentes de saúde localizaram larvas do Aedes aegypti em caixas d'água, vasos, pratos e fracos com plantas, bebedouro de animais, calhas, lages, ralos e sanitários em desuso, em pneus, em lixo e em buracos árvores e bromélias.

Foto: A Frota

Legenda: O primeiro mutirão foi feito nesta terça-feira, na região da Vila Sulmat, onde foi apontado com o maior índice de infestação do Aedes aegypti

Mais lidas

Faculdades de Medicina no Paraguai: Universidade USCA abre 280 vagas para curso de medicina e inscrições já estão abertas.

Veja a relação dos candidatos a vereador em Dourados com número que aparece na urna

Proprietários são notificados para adequação das calçadas em Dourados