Dengue será tema na reabertura da Câmara

- Na retomada dos trabalhos em plenário, no dia 1º de fevereiro, vereadores receberão o secretário municipal de saúde -

O elevado índice de infestação pelo Aedes aegypti em Dourados e o trabalho que o município vem realizando no combate ao mosquito transmissor da dengue, febre chikungunya e zika, serão debatidos na Câmara de Dourados, que também entra na campanha contra a doença.

Com término do recesso parlamentar, no dia 31 de janeiro, os vereadores retomam as sessões em plenário na segunda-feira, dia 1º de fevereiro, às 18h30. A sessão será ordinária, de caráter deliberativo, e a pauta de matérias para votação já está sendo providenciada pela secretaria legislativa. Na reabertura dos trabalhos, também haverá bênção ecumênica.

Para falar sobre a campanha de combate à dengue, está prevista a presença do secretário municipal de Saúde Sebastião Nogueira de Faria e um técnico daquela secretaria. Eles deverão discorrer, principalmente, sobre o trabalho de combate ao mosquito da dengue em Dourados.


Para presidente Idenor Machado (DEM), é importante a presença do secretário, que é médico, para explicar sobre a campanha e a importância do trabalho preventivo, para se evitar que uma epidemia de dengue se alastre pelo município. "Todos somos responsáveis e devemos estar bem informados a respeito do que se deve fazer para evitar a dengue e, assim, poder repassar às pessoas que não têm muito acesso às informações", diz Idenor.

TRABALHO

O presidente da Câmara prevê que 2016 também será, a exemplo dos anteriores, um ano de muito trabalho por parte dos vereadores, até porque, Dourados teve o crescimento acelerado nos últimos anos e, em consequência, aumentou também as demandas da comunidade. "Vamos continuar atentos aos temas que predominam na sociedade e, também, em contato permanente com autoridades, no sentido de dar respostas aos anseios da comunidade", diz Idenor.

Durante o ano de 2015, os vereadores participaram de 43 sessões ordinárias e aprovaram 133 projetos de lei ordinária e 38 de lei complementar. Também foram aprovados 73 projetos de decreto legislativo e dois projetos de emendas à LOM (Lei Orgânica do Município), além de nove projetos de resolução e dois vetos do executivo.

Os vereadores douradenses ainda produziram 4.097 proposições, entre indicações (2.813), requerimentos (681) e moções (603). No período, ainda forma realizadas sete audiências públicas para debater com a sociedade temas de relevância, de interesse coletivo.
"2015 foi um ano bastante positivo para a Câmara de Dourados e 2016 também deverá ser", prevê Idenor Machado. 

Para o presidente, independente de ser um ano político, quando os eleitores deverão escolher um novo prefeito e os 19 vereadores, o ritmo de trabalho não deverá sofrer qualquer alteração. "A coerência e o bom senso devem prevalecer. Se depender de cada um de nós, da atual legislatura, o trabalho diário do vereador não deverá, jamais, ser confundido com o trabalho de candidato. Não podemos misturar as coisas", pondera.

Mais lidas

Faculdades de Medicina no Paraguai: Universidade USCA abre 280 vagas para curso de medicina e inscrições já estão abertas.

Veja a relação dos candidatos a vereador em Dourados com número que aparece na urna

Proprietários são notificados para adequação das calçadas em Dourados