Estado inicia licitação para Centro de Diagnóstico

            O governo do Estado inicia, na próxima semana, o processo licitatório para a escolha da empresa que vai elaborar os projetos executivo e complementares do Centro de Diagnóstico Especializado de Dourados (CDED). A informação foi divulgada pelo deputado federal Geraldo Resende, que viabilizou, por meio de emenda individual de R$ 3,39 milhões para a obra, cujos recursos foram empenhados no final do ano passado.  O Estado, por sua vez, vai aplicar montante de igual valor, somando R$ 6,78 milhões para a obra.

         Segundo informações obtidas pelo deputado junto à Secretaria Estadual de Saúde, toda a documentação solicitada pela Caixa Econômica Federal já foi entregue pelo Governo do Estado e encontra-se em fase de análise. "Fico feliz em verificar que os encaminhamentos estão sendo feitos com agilidade, pois cada etapa vencida é um passo adiante nessa tão importante conquista", salienta o deputado.
         Estrutura
         O Centro de Diagnóstico Especializado de Dourados é uma antiga demanda do Município que deverá se tornar realidade nos próximos meses. O CDED deverá ser implantado ao lado do futuro Hospital Regional de Dourados, no quilômetro 3 da Rodovia BR-463, saída para Ponta Porã.
         Pela proposta aprovada pelo Ministério da Saúde o CDED será dotado de equipamentos de última geração, possibilitando à população ter, em um único local, exames de tomografia computadorizada, ressonância nuclear magnética, ultrassonografia, endoscopia e colonoscopia, raios-x digital, Dopplervelocimetria laboratório de análises clínicas, teste ergométrico, holter 24 horas, eletroencefalograma, eletrocardiograma, densitometria óssea, entre outros.
         O Centro de Diagnóstico deverá atender os 35 municípios da Região da Grande Dourados, que possui aproximadamente 800 mil habitantes. Também deverá fazer retaguarda diagnóstica ao futuro Hospital Regional de Dourados, oferecendo desde simples exames de hemograma, até ressonância magnética nuclear. O prédio deverá ter 1.150m2, distribuídas em 31 salas de consultórios/exames, de um total de 104 ambientes.
         O projeto
         "Quando o CDED ficar pronto, os pacientes do SUS não precisarão mais enfrentar longas filas de espera para marcação de exames diagnósticos, sobretudo em clínicas particulares, que têm cobrado muito caro, desfalcando os cofres públicos. Há exames que oneram três ou quatro vezes a mais que a tabela praticada pelo Sistema Único de Saúde (SUS), comprometendo muito os recursos já insuficientes na saúde", explica Geraldo Resende.
         A ideia também é zerar a espera interminável em filas para realização dos procedimentos. "Vamos ter mais agilidade nos tratamentos clínicos e cirúrgicos aqui mesmo na nossa região, sem a necessidade de encaminhar os exames para as clínicas e alguns outros para Campo Grande", diz o parlamentar.

Mais lidas

Faculdades de Medicina no Paraguai: Universidade USCA abre 280 vagas para curso de medicina e inscrições já estão abertas.

Veja a relação dos candidatos a vereador em Dourados com número que aparece na urna

Proprietários são notificados para adequação das calçadas em Dourados