FAEMS debate estratégias para aumento na oferta de empregos em MS

As principais entidades dos setores produtivos do Estado debateram, nessa segunda-feira (25), as necessidades e estratégias para aumento na oferta de empregos em Mato Grosso do Sul. O diretor executivo da FAEMS – Federação das Associações Empresariais de MS, Clodoaldo Martins de Oliveira Júnior, levou as principais demandas da entidade para colaborar na elaboração de um documento que será entregue ao governo do Estado. A reunião foi realizada na sede do Sebrae/MS.

"O objetivo é solicitar ao governo apoio para dinamizar a economia e fomentar o emprego, desburocratizando a vida do empresário", disse o presidente da FAEMS, Alfredo Zamlutti Júnior. Segundo o diretor executivo da entidade, "é fundamental o diálogo com o governo do Estado para minimização das altas cargas tributárias aos empresários, principalmente dos setores do comércio e serviços", avalia. A FAEMS elencou recomendações para desburocratização dos setores produtivos, contribuindo para impulsionar a economia e, por consequência, gerando mais empregos.

Dentre as demandas apresentadas pela FAEMS, estão o aumento no prazo do "imposto garantido", de cinco para trinta dias. Estima-se que o Estado deixa de comercializar cerca 35% em vendas por decorrência das diferenças de alíquotas entre os Estados vizinhos. Somente nos produtos farmacêuticos, por exemplo, o município de Guaíra, no Paraná, chega a vender os mesmos produtos comercializados em Mato Grosso do Sul pela metade do preço.

Outra questão debatida foi quanto às multas pagas ao Inmetro. Para a FAEMS, o comércio não pode ser penalizado pelo erro das indústrias. "O setor industrial produz fora dos padrões autorizados pelo Ministério da Indústria e do Comércio, mas é o empresário, que ao comercializar os produtos, acaba pagando a multa", esclarece Clodoaldo. A proposta seria uma ação de conscientização e educação dos empresários do Estado.

O diretor executivo da FAEMS levou ainda sugestões de melhorias nos processos da Jucems - Junta Comercial do Estado. De acordo com uma reclamação pontuada pelas associações comerciais do Estado, quando uma empresa passa de dez anos de sua abertura sem que haja alguma alteração contratual, ela é considerada inativa perante este órgão. Para resolver o impasse, o empresário precisa recorrer ao contador e efetuar todos os pagamentos das taxas e honorário contábil.

Por fim, a entidade apresentou também proposta de redução de ICMS no querosene de utilizado na aviação nos voos regulares a Ponta Porã e Chapadão do Sul. A medida aumentaria a oferta de voos para Dourados e Corumbá. A redução iria gerar um impacto mínimo na arrecadação do Estado, mas beneficiaria as cidades envolvidas.

Participaram ainda da reunião representantes da Federação das Indústrias do Estado (FIEMS), Federação da Agricultura e Pecuária (Famasul) e Federação do Comércio (Fecomercio), e das entidades que compõe o Sistema S, Sebrae/MS, Senac, Sesi e Sesc.

Sobre a FAEMS - A Federação das Associações Empresariais de Mato Grosso do Sul é uma Sociedade Civil sem fins lucrativos, fundada em 9 de dezembro de 1978, com a finalidade de defender os interesses da economia do Estado e do País e, em especial, os direitos e aspirações das Associações Comerciais, Industriais e Agropastoris do Estado.

Mais lidas

Faculdades de Medicina no Paraguai: Universidade USCA abre 280 vagas para curso de medicina e inscrições já estão abertas.

Veja a relação dos candidatos a vereador em Dourados com número que aparece na urna

Proprietários são notificados para adequação das calçadas em Dourados