Geraldo conquista apoio da bancada ao projeto do Instituto da Mulher e da Criança


         Após a devolução dos recursos que seriam utilizados na construção do Instituto da Mulher e da Criança (IMC) de Dourados pela reitoria anterior da Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD), o deputado federal Geraldo Resende está articulando a conquista de novas verbas para a retomada do projeto. Para tanto, conseguiu o apoio de membros da bancada federal na indicação de emendas parlamentares no custeio das obras.
         "Eu não desisto desse projeto, pois o IMC, também conhecido como Hospital da Mulher e da Criança é uma necessidade para a melhoria do atendimento em saúde pública a toda a Região da Grande Dourados", explica o parlamentar. "Conversando com diversos colegas da bancada, consegui convencê-los da importância dessa conquista para todo o Estado".

         Por meio das articulações com deputados e senadores, Geraldo Resende explica que conseguiu que os mesmos apresentassem indicações de emendas ao Orçamento Geral da União/2015 que somaram o montante de R$ 17.750.000,00 para a obra do IMC.
         De acordo com o deputado, diferente do ano passado, quando a gestão anterior da UFGD perdeu recursos de R$ 12,9 milhões por falta de proposta, dessa vez, a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (EBSERH) já concluiu o novo projeto e deverá apresentá-lo ao Ministério da Saúde nos próximos meses.
         "Com o projeto em mãos e com a garantia dos recursos por meio da união de esforços da nossa bancada federal, teremos dessa vez, uma nova realidade para as mulheres e crianças de nossa região. O Hospital da Mulher e da Criança será, com toda a certeza, um grande divisor de águas", destaca Geraldo.
         No total, o novo Hospital da Mulher e Criança vai custar R$ 41 milhões, que serão destinados por etapas, por meio de emendas. Estes investimentos foram conquistados com a união de esforços da bancada federal que destinou R$ 10 milhões no Orçamento Geral da União de 2016. Outros R$ 7.750.000,00 são de emendas individuais dos parlamentares. Do total de R$ 7,7 milhões, R$ 3 milhões foram destinados por Geraldo Resende, R$ 1 milhão pelo deputado Carlos Marun, R$ 1 milhão pela deputada Tereza Cristina, R$ 750 mil pelo deputado Luiz Henrique Mandetta, R$ 1 milhão pelo senador Waldemir Moka, e R$ 1 milhão pela senadora Simone Tebet.
         O presidente da EBSERH Newton Lima também assumiu o compromisso de custear, além dos serviços concluídos pelo UNOPS (Escritório das Nações Unidas para Serviços de Projetos), outros projetos complementares da futura obra.
         Nova estrutura
         De acordo com o projeto da EBSERH, o hospital contará com serviços de obstetrícia e neonatal. O primeiro terá estrutura de 36 leitos de internação, 36 berços de recém-nascido, outros cinco quartos, cinco leitos de observação, quatro quatro salas cirúrgicas, cinco leitos de Recuperação Pós Anestésica (RPA), Pronto Atendimento Pediátrico e Pronto Atendimento Obstétrico. O edifício terá área total construída de 8.600 metros quadrados e três pavimentos com acesso através de rampa central de elevadores.

Mais lidas

Faculdades de Medicina no Paraguai: Universidade USCA abre 280 vagas para curso de medicina e inscrições já estão abertas.

Veja a relação dos candidatos a vereador em Dourados com número que aparece na urna

Proprietários são notificados para adequação das calçadas em Dourados