Geraldo reafirma ser contrário à volta da CPMF

"Não vai passar e irei votar contra. A população gostaria que o poder público fizesse mais a parte dele. Por conta da crise, acredito que esteja sem atmosfera para esse tipo de discussão". Esse é o posicionamento do deputado federal Geraldo Resende (PMDB-MS), com relação à proposta de recriação da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira, a CPMF, ao ser questionado pelo jornal "O Estado", segundo matéria publicada na edição desta quarta-feira (13).
            Segundo o jornal, Geraldo Resende afirmou ainda que o ideal é que a matéria nem seja colocada em pauta pela presidente Dilma Roussef. Ele reafirmou posição anunciada no ano passado, segundo a qual a população brasileira já está arcando com uma carga muito pesada em impostos e tributos. "O governo deve buscar outros mecanismos para recuperar a economia brasileira. Não será jogando a conta dos desacertos nas costas do povo que conseguirá reverter a crise na qual o país se encontra", avalia.

Geraldo disse ter consciência do grave momento que a economia brasileira atravessa, e que o governo precisa encontrar saídas para evitar um colapso ainda maior, o que poderia resultar na total incapacidade de honrar compromissos já assumidos com a população brasileira.
"O governo precisa, na verdade, modernizar a máquina pública, reduzir gastos desnecessários e acabar com o desperdício", salienta o parlamentar.
Ajuste fiscal
Quanto às demais medidas que o governo pretende tomar, e que dependem de votação no Congresso, o deputado disse ser necessário avaliar com cautela todas elas. "A população está sendo chamada a pagar a conta de desajustes governamentais que vêm de longa data", afirma.



Ricardo Minella
13.01.16

Mais lidas

Faculdades de Medicina no Paraguai: Universidade USCA abre 280 vagas para curso de medicina e inscrições já estão abertas.

Veja a relação dos candidatos a vereador em Dourados com número que aparece na urna

Proprietários são notificados para adequação das calçadas em Dourados