Murilo reúne secretários e Exército, e declara guerra ao Aedes aegypti

Prefeitura prepara decreto que aumentará o rigor da penalização para quem permitir criadouro do mosquito

Dourados declarou guerra na manhã desta segunda-feira, dia 11, ao mosquito Aedes aegypti, transmissor da Dengue, Febre Chikungunya e Zika Vírus. O prefeito Murilo discutiu estratégias de combate com os secretários municipais e o general Rui Yutaka Matsuda, comandante da 4ª Brigada de Cavalaria Mecanizada, e prepara dois decretos para impedir o avanço e proliferação do mosquito transmissor das doenças.

"Há uma campanha ampla na mídia local e nacional sobre o problema, mas as pessoas ainda não se conscientizaram de que o caso é muito grave. A Febre Chikungunya pode deixar a pessoa inválida para o trabalho por até dois anos. A Zika Vírus pode estar associada à microcefalia, deixando crianças inclusive com demência. O caso é sério e vamos trabalhar junto com o Exército para que nossa cidade fique livre desse mal", disse o prefeito.
O general Matsuda vai oferecer apoio com logística e tropa para ajudar os agentes de saúde da Prefeitura a vistoriar todas as residências e prédios comerciais de Dourados a partir desta semana. "Estou saindo dessa reunião com uma visão diferente do mal que essas doenças causam. O caso realmente é grave; a população talvez ainda não tenha percebido a gravidade do dano que esse mal pode causar ao país", afirmou.
Nesta semana a Procuradoria Geral do Município prepara dois decretos para ampliar o rigor no combate ao Aedes aegypti. Um deles aumenta o valor da multa para a pessoa que na residência, terreno ou empreendimento permitir focos do mosquito.
O outro decreto trata do combate dentro dos órgãos públicos. A Prefeitura criará comissões de combate monitoramento nas secretarias para zelar pelos prédios e locais públicos por elas geridos. O gestor estará sujeito à multa igualmente a qualquer cidadão, caso seja encontrado foco do mosquito no imóvel sob sua responsabilidade.
"Vamos fazer a nossa parte, cuidando também com rigor da nossa casa. E vamos na casa de todas as pessoas para dizer a elas que o caso é grave e que elas precisam se cuidar para não ficar doente. A Prefeitura está toda envolvida nesse trabalho. Não vamos deixar Dourados perder a guerra para esse mosquito", garante Murilo.
Na semana passada a Prefeitura realizou o Liraa (Levantamento do Índice Rápido de Aedes aegypti) que aponta quais bairros tem maior presença do inseto. O estudo apontou que a cidade está com IIP (Índice de Infestação Predial) de 4,3%, acima do considerado ideal.
Rosana Alexandre da Silva, coordenadora do CCZ (Centro de Controle de Zoonoses) lembrou que o índice de infestação de Dourados é crítico, já que o Ministério da Saúde preconiza como aceitável o índice de 0,1%. Segundo ela, 80% dos focos estão dentro dos imóveis residenciais. "Os agentes trabalham todo dia na orientação e fiscalização, mas a reincidência é comum. A Prefeitura precisa da conscientização e apoio da população para vencer esse mal", diz. Lembra ainda que além de vistoriar cuidar da casa e do quintal é preciso vistoriar regularmente as calhas do telhado e verificar se não está ocorrendo acúmulo de água.
De acordo com Márcio Figueiredo, secretário de Saúde em exercício, Dourados está numa situação muito melhor que outros municípios do Estado. "Casos de dengue e ainda não estão sobrecarregando nossa UPA e postos de saúde, mas se não combatermos o mosquito agora com rigor podemos enfrentar uma grave epidemia muito em breve", disse.

Mais lidas

Faculdades de Medicina no Paraguai: Universidade USCA abre 280 vagas para curso de medicina e inscrições já estão abertas.

Veja a relação dos candidatos a vereador em Dourados com número que aparece na urna

Proprietários são notificados para adequação das calçadas em Dourados