Geraldo destaca trabalho de Murilo no projeto da nova feira livre de Dourados


       O deputado federal Geraldo Resende destacou, essa semana, a atuação do prefeito Murilo Zauith pela concretização da proposta de implantação de uma nova feira livre em Dourados. "A determinação do prefeito está sendo fundamental para que este antigo sonho se torne realidade", salienta o parlamentar, que juntamente com o senador Waldemir Moka, viabilizou recursos para a segunda etapa do projeto.
A nova feira está sendo instalada numa área de 56,3 hectares da antiga Chácara Rigotti, à Rua Cafelândia (entre as ruas Humaitá e Araguaia), no Jardim São Pedro, região sul de Dourados.

         No momento, os trabalhos referentes à primeira etapa estão sendo executados com recursos próprios da Prefeitura, oriundos do Procon (R$ 2,5 mil). Segundo o engenheiro encarregado pelas obras, começam essa semana a ser implantados o piso da área onde ficarão os boxes, além da calçada de concreto armado, onde ficará o estacionamento. Estão sendo edificados, ainda os banheiros. Essa etapa deverá ser concluída em 10 meses.
         Posteriormente, serão utilizadas as verbas que foram destinadas pelos parlamentares (Geraldo e Moka), que apresentaram duas emendas no valor de 1.250.000,00, cada, totalizando R$ 2,5 milhões. Somando as duas fontes de financiamento, a nova estrutura já conta, portanto, com cerca de R$ 5 milhões garantidos.
         A nova feira
O projeto de construção de uma nova feira livre em Dourados é a coroação de uma luta que começou em 2010, quando, a pedido do deputado Geraldo Resende, o advogado Márcio Alexandre dos Santos (já falecido) reuniu os feirantes da Rua Cuiabá e ouviu deles e dos moradores das adjacências, a necessidade de um novo local, melhor estruturado, para atender os anseios dos pequenos comerciantes e produtores, bem como da população.
Daí surgiu a ideia de se procurar o poder público municipal. O prefeito Murilo foi receptivo e colocou sua equipe para elaborar os projetos e fazer as interlocuções e cadastros necessários. A partir daí, foi sendo formatada a proposta de implantar uma estrutura nova, com capacidade para atender cerca 560 produtores de grãos, produtos de origem animal, alimentos e hortifrútis, que atuam no entorno de Dourados.
A proposta que foi encaminhada à Caixa Econômica prevê a implantação de espaços para comercialização de artesanato e produtos afins, para realização de capacitações dos feirantes, praça de alimentação, pequenos eventos, área administrativa além de estacionamento. O objetivo é mudar o padrão da feira, onde os produtores terão oportunidade de ampliar o mercado e de aumentar a competitividade.
         O projeto prevê, nas duas etapas, 2.283,17 metros quadrados de área construída. A praça de alimentação terá 2.043 metros quadrados; o banheiro principal, 146,39 metros quadrados; o banheiro secundário, 57,37 metros quadrados; e a casa do transformador, 36,38 metros quadrados. Essas serão as áreas cobertas.
Nessa primeira fase, as áreas das barracas terão apenas pisos com ligações de água e energia, com a possibilidade de conquista de novos recursos para a implantação das coberturas. A área de hortifrútis terá 3.168 metros quadrados de piso, enquanto a de armarinhos e vestuários (camelôs), 3.472 metros quadrados; e a de exposições e eventos ficará com 1.000 metros quadrados.
Haverá 120 boxes de 12 metros quadrados cada, para o setor de hortifrútis e 224 boxes de 6 metros quadrados para o segmento de armarinhos. Serão implantados 24 boxes para a praça de alimentação, com áreas de 6,60 a 24 metros quadrados. Haverá, ainda, 132 vagas de estacionamento para veículos, 32 para motos e 84 para bicicletas.

Mais lidas

Faculdades de Medicina no Paraguai: Universidade USCA abre 280 vagas para curso de medicina e inscrições já estão abertas.

Veja a relação dos candidatos a vereador em Dourados com número que aparece na urna

Proprietários são notificados para adequação das calçadas em Dourados