Obras da nova feira livre de Dourados entram em nova fase


Depois da terraplanagem, trabalhos visam construção de calçadas, estacionamento, banheiros, estrutura elétrica, hidráulica e outros; recursos para o projeto são oriundos de parceria entre a Prefeitura, PROCON, deputado Geraldo Resende e senador Waldemir Moka

         Depois das obras de terraplanagem que aconteceram no ano passado, estão em andamento os trabalhos de implantação da infraestrutura da futura feira livre de Dourados, que será instalada numa área de 56,3 hectares da antiga Chácara Rigotti, à Rua Cafelândia (entre as ruas Humaitá e Araguaia), no Jardim São Pedro, região sul de Dourados. A previsão de término desta etapa é de aproximadamente oito meses.
Entre as mudanças previstas no entorno da futura feira, estão a abertura da Rua Adelina Rigotti, cortando o fundo da área, respeitando-se o limite de proteção ambiental do Córrego Rego D'Água. A Prefeitura anunciou ainda que do lado norte, a Rua Humaitá também será continuada, se encontrando com a Rua Adelina Rigotti e, após, atravessando o Córrego Rego D´Água, ligando-se à Rua Visconde de Taunay. O Município também anunciou a construção de uma ponte sobre o córrego nessa rua, com a finalidade de melhorar o trânsito na região.

         Os recursos para esta etapa das obras, no valor de R$ 2.563.253,85, são oriundos do PROCON de Dourados. Para a fase seguinte, o deputado federal Geraldo Resende e o senador Waldemir Moka garantiram emendas individuais, cada um, de R$ 1.250.000,00, totalizando R$ 2,5 milhões. Em 25 de junho de 2014 o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) fez o empenho de R$ 2.437.500,00, referentes às duas emendas.
         A nova feira
O projeto de construção de uma nova feira livre em Dourados é a coroação de uma luta que o deputado Geraldo Resende começou em 2010, conquistando, posteriormente, a simpatia do prefeito Murilo Zauith, que abraçou a ideia e colocou sua equipe para elaborar os projetos e firmar as parcerias necessárias. A proposta atende pedidos de diversos feirantes que hoje atuam na Rua Cuiabá, bem como de moradores daquela região, que reclamam, há muitos anos, dos problemas advindos da interdição da rua, nos dias de feira.
O objetivo é implantar uma estrutura que vai atender os cerca de 560 produtores do entorno de Dourados que produzem grãos, produtos de origem animal, alimentos e hortifrútis. A atual feira livre comporta apenas 280 pequenos agricultores e comerciantes.
A nova estrutura também prevê espaços para comercialização de artesanato e produtos afins, para realização de capacitações dos feirantes, praça de alimentação, pequenos eventos, área administrativa além de estacionamento. O objetivo é mudar o padrão da feira, onde os produtores terão oportunidade de ampliar o mercado e de aumentar a competitividade.
         "Estou muito feliz em poder anunciar mais essa conquista para a população douradense, principalmente num segmento tradicional como a feira livre, que, além de proporcionar mercadorias de qualidade à população, ainda é um espaço onde os pequenos produtores podem colocar seus produtos no mercado local", destaca o deputado Geraldo Resende.
            "Trata-se de um antigo sonho dos feirantes e da população douradense, principalmente dos moradores das adjacências da antiga feira livre de Dourados que começa a se tornar realidade. Será um novo local, com amplas e modernas instalações, inclusive levando em consideração todas as condições de saúde pública", conclui o parlamentar.

Legenda das fotos de Ricardo Minella:
Trabalhadores iniciam obras de infraestrutura na área onde será instalada a nova feira livre de Dourados.

Ricardo Minella
12.02.16

Mais lidas

Faculdades de Medicina no Paraguai: Universidade USCA abre 280 vagas para curso de medicina e inscrições já estão abertas.

Veja a relação dos candidatos a vereador em Dourados com número que aparece na urna

Proprietários são notificados para adequação das calçadas em Dourados