Prefeitura é parceira do Exército na campanha contra o Aedes neste sábado


A prefeitura de Dourados vai colaborar com o Exército durante o "Dia Nacional do Esclarecimento", que será realizado neste sábado, dia 13, em todo País. Em Dourados, pelo menos 600 soldados da 4ª Brigada de Cavalaria Mecanizada estarão nas ruas, em pontos estratégicos, fazendo esclarecimentos à população.
A prefeitura vai disponibilizar cem agentes de endemias e agentes comunitários que vão fazer panfletagem nas imediações da Praça Antônio João, Shopping Avenida Center, entre outros locais. A ação da "guerra" contra o Aedes ainda vai mobilizar outros parceiros, como a Guarda Municipal, Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito), Polícia Militar, Civil, Corpo de Bombeiros, universidades, como Uems (Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul), UFGD (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) e Unigran.
Força-tarefa - A prefeitura vem trabalhando num 'esforço concentrado' desde janeiro no combate ao mosquito Aedes aegypti. Só no mês de janeiro foram pelo menos 50 mil imóveis inspecionados pelos agentes de endemias do CCZ (Centro de Controle de Zoonozes) e diversos parceiros, como a Semsur (Secretaria Municipal de Serviços Urbanos), Exército, Polícia Militar, Guarda Municipal e Corpo de Bombeiros e entidades, como a Aced (Associação Comercial e Empresarial de Dourados).
Durante a semana do Carnaval foram inspecionados quase cinco mil imóveis nos quais localizados 79 ou 1,60% focos do mosquito transmissor da dengue, chikungunya e zica.
Focos - A coordenadora do CCZ, a bióloga Rosana Alexandre da Silva lembra que os focos dos mosquitos estão sendo localizados nos locais mais inusitados, ou seja, naqueles onde as pessoas nem imaginam, como nas fossas sépticas, por exemplo. Ela explica que é comum encontrar focos do Aedes nestes locais. "Normalmente a gente imagina que o mosquito procura se reproduzir em água limpa e parada, mas pelo que temos encontrado, demonstra ao contrário, o mosquito está cada vez mais dinâmico", diz a bióloga.
Ela explica que as fossas cépticas devem ficar bem vedadas para evitar que a fêmea do mosquito entre para por seus ovos.
Outros locais em que o mosquito costuma se reproduzir são nas bandejas atrás das geladeiras, que por não serem vistas com frequência, normalmente, são esquecidas.
Telhados, calhas e lajes também devem ser verificados com frequência, bem como as piscinas, inclusive as de plástico, onde as crianças costumam brincar nos finais de semana.
Outros locais são em ralos de varanda e banheiro; vasos de banheiros pouco freqüentados; as bromélias que costumam acumular água em suas folhas; tampinhas de garrafas e até mesmo, casquinhas vazias de caramujos.

Mais lidas

Faculdades de Medicina no Paraguai: Universidade USCA abre 280 vagas para curso de medicina e inscrições já estão abertas.

Veja a relação dos candidatos a vereador em Dourados com número que aparece na urna

Proprietários são notificados para adequação das calçadas em Dourados