Ambulatório de Investigação de Zika do HU-UFGD tem primeiro caso confirmado da doença

Uma paciente de 28 anos é a primeira gestante com quadro de Zika Vírus confirmado pelo Ambulatório de Investigação de Zika do Hospital Universitário da Universidade Federal da Grande Dourados (HU-UFGD). O laudo do exame que identificou a presença do vírus foi encaminhado hoje (21) ao HU-UFGD.

A gestante, que está no terceiro trimestre de gravidez, deu entrada no Pronto Atendimento de Ginecologia e Obstetrícia (PAGO) do hospital há três semanas e, por apresentar sintomas similares aos da doença, teve amostras de sangue e urina coletadas para serem analisadas pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), no Paraná. Em seguida, foi encaminhada para consulta com a equipe multidisciplinar do Ambulatório de Investigação de Zika do HU-UFGD.


De acordo com o coordenador do serviço, o médico infectologista e pesquisador da UFGD e da Fiocruz Julio Croda, a paciente já foi informada do resultado do exame e continuará sendo acompanhada pelos profissionais do ambulatório até após o nascimento do bebê. "O diagnóstico positivo para o vírus não significa, no entanto, que a criança necessariamente apresentará quadro de microcefalia. Por isso é importante que a gestante continue recebendo a orientação multidisciplinar proporcionada pelo ambulatório", explica.

Nas consultas, ela recebe, além das orientações do infectologista, a atenção de obstetras, pediatra, enfermeiros da área de Vigilância em Saúde e Segurança do Paciente, assistentes sociais e psicólogas.

O HU-UFGD, inclusive, já procedeu à comunicação do diagnóstico ao Núcleo de Vigilância Epidemiológica de Dourados e ao Centro de Informações Estratégicas de Vigilância Sanitária (CIEVS), da Secretaria de Estado de Saúde (SES).

Ambulatório

O Ambulatório de Investigação de Zika Vírus do HU-UFGD é um serviço inédito na rede pública de Mato Grosso do Sul. Entrou em funcionamento no dia 4 de março e é composto por médicos (infectologista, obstetras e pediatra), além de enfermeiros, assistentes sociais e psicólogos. O objetivo é que a cada visita, a paciente possa, em um único lugar, ser acompanhada por todos esses profissionais.

São duas categorias de gestantes atendidas: as que apresentem algum tipo de exantema (mancha avermelhada na pele) com duração inferior a sete dias e as que já tenham feito ultrassonografia na qual ficou evidenciada microcefalia ou qualquer alteração no sistema nervoso central compatível com infecção congênita.

As mulheres que se encaixam no primeiro grupo, devem procurar assistência no Pronto Atendimento de Ginecologia e Obstetrícia (PAGO) do HU-UFGD, seja com encaminhamento de algum profissional de saúde, seja por conta própria. Lá, elas passarão imediatamente por uma coleta de material para confirmação da infecção e receberão as instruções para agendar sua consulta no ambulatório.

As amostras recolhidas serão enviadas ao Laboratório do HU-UFGD, para serem congeladas, e encaminhadas à Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), no Paraná, onde, todos os exames serão realizados.

As gestantes do segundo grupo precisam ser encaminhadas ao ambulatório pelo médico que que realiza o seu pré-natal e que tenha identificado microcefalia ou alguma lesão no sistema nervoso central que sugira infecção pelo Zika Vírus. Elas devem agendar seu horário pessoalmente na recepção ambulatorial do HU-UFGD e, no dia marcado, comparecer ao hospital com o encaminhamento de seu médico e as ultrassonografias já realizadas.

Em ambos os casos, as pacientes deverão prosseguir com seu pré-natal convencional, porém, paralelamente, receberão atenção diferenciada no Ambulatório de Investigação de Zika Vírus, assim como seus bebês, após o nascimento.

Integração com a rede municipal de saúde

No dia 29 de março, nos períodos da manhã e da tarde, um grupo de colaboradores que atua no Ambulatório de Investigação de Zika Vírus participará de reuniões com profissionais da rede de atenção básica à saúde do município, para esclarecer o trabalho que vem sendo realizado no HU-UFGD.

O objetivo é que todos os funcionários dos postos de saúde de Dourados conheçam o fluxo a ser seguido para o encaminhamento das gestantes com sintomas da doença ao ambulatório.

Para mais informações e orientações sobre o agendamento de consultas no Ambulatório de Investigação de Zika Vírus do HU-UFGD, as gestantes devem entrar em contato pelo telefone: (67) 3410-3024. As consultas serão feitas todas as sextas-feiras, com início às 8 horas.​







Bianca Cegati Ozuna

Mais lidas

Faculdades de Medicina no Paraguai: Universidade USCA abre 280 vagas para curso de medicina e inscrições já estão abertas.

Veja a relação dos candidatos a vereador em Dourados com número que aparece na urna

Proprietários são notificados para adequação das calçadas em Dourados