Dourados lidera na geração de emprego em fevereiro

Prefeito Murilo credita resultado ao potencial econômico do município e o positivismo dos empresários locais

Dourados liderou na criação de novos empregos em fevereiro, um mês que foi um desastre nessa área no Brasil. O município ficou com um saldo de 121 empregos, resultado de 2.027 contratações contra 1.906 demissões.
"Temos que comemorar este resultado positivo. Vivemos uma profunda recessão no país e aqui continuamos a gerar empregos. Nossa cidade tem um grande potencial e continua atraindo empresas e, além disso, nossos empresários locais não se deixam abater, trabalham e investem", ressalta o prefeito Murilo.
No domingo, durante a entrega de prêmios do torneio de pesca da 12ª Festa do Peixe, Murilo falou do processo de organização e planejamento do município para superar a crise. "Dourados vai chegar ao final do ano imune à crise; ao contrário, nossa cidade vai continuar crescendo e gerando emprego", afirmou.

Ao todo foram criados em Mato Grosso do Sul criou 1.124 empregos celetistas (com carteira assinada) em fevereiro. Foi um resultado melhor (0,22% a mais) que o de janeiro. Porém é o segundo pior fevereiros dos últimos 14 anos. O pior nesse perí
​o​
do foi o ano de 2005, quando o saldo foi de apenas 1.039 empregos.
Os dados são do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados do Ministério do Trabalho e emprego) e foram divulgados nesta terça-feira (22). Os setores de atividade econômica que mais contribuíram para o resultado positivo no Estado foram a Agropecuária (+664 postos), a Construção Civil (+568 postos), cujos saldos superaram a redução do emprego no setor da Indústria de Transformação (-244 postos) e Comércio (-188 postos).
No ranking do Estado, depois de Dourados vem Três Lagoas, com 120; em 3º Sidrolândia, com 95; em 4º Maracaju, com 88; em 5º Campo Grande, com 80; em 6º Rio Brilhante, com 56; em 7º Amambai, com 42; em 8º Ponta Porã, com 35; em 9º Naviraí, com 23; em 10º Nova Andradina, com 20 e em 11º Coxim, com 8. Paranaíba, em 12º, fechou 50 vagas; Corumbá, em
13º, perdeu 72 empregos e Aquidauana, em 14º, demitiu 80 trabalhadores.

O Estado
Mato Grosso do Sul é um dos seis Estados que criaram empregos no Brasil em fevereiro. Foi o quinto colocado. Quem gerou mais emprego foi Rio Grande do Sul (6.070), Santa Catarina (4.793), Mato Grosso (3.683), Goiás (2.327) Mato Grosso do Sul (1.124) e Tocantins (88).
Os setores que mais geraram empregos no Estado foram a Agropecuária, 664 vagas; a Construção Civil, com 568 e os Serviços, com 376. A Extração Mineral criou 32, a Administração Pública 7. Já os Serviços Industriais de Utilidade Pública fecharam 27 vagas, o Comércio 188 e a Indústria de Transformação, que foi o pior setor, 244.
O Brasil fechou 104.582 vagas com carteira assinada em fevereiro. É
​ o ​
pior resultado para fevereiro em 25 anos, desde o início da série histórica, em 1992. Foi o décimo primeiro mês seguido de cortes. A última vez que o país teve saldo positivo foi em março do ano passado (19,3 mil). No acumulado dos doze meses até fevereiro, são 1,71 milhão de postos de trabalho a menos.



Foto: A. Frota/Assecom

Mais lidas

Faculdades de Medicina no Paraguai: Universidade USCA abre 280 vagas para curso de medicina e inscrições já estão abertas.

Veja a relação dos candidatos a vereador em Dourados com número que aparece na urna

Proprietários são notificados para adequação das calçadas em Dourados