Dourados atinge a meta de imóveis vistoriados e consegue reduzir casos de dengue

Dourados vem reduzindo os casos de dengue graças a conscientização da população e os mutirões realizados pela Prefeitura desde o inicio de janeiro deste ano, fazendo parte de uma força tarefa determinada pelo prefeito Murilo para o combate a proliferação do Aedes aegypti, transmissor da dengue, chikungunya e zika.
Foram vistoriados 134.770 imóveis. A cidade tem 107.464 imóveis, mas alguns foram vistoriados mais de uma vez, superando as expectativas. Com isso os casos de dengue vêm reduzindo gradativamente neste mês de março, segundo levantamento do Núcleo de Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde, de Dourados.
O auge das notificações foi nos meses de janeiro e fevereiro, mas logo no inicio de março houve uma queda significativa. Do inicio do ano até os primeiros 20 dias deste mês foram realizadas 3.341 notificações, sendo 1.444 no mês de janeiro; 1.535 em fevereiro e nos primeiros 20 dias, conforme dados parciais deste mês, foram notificados 362 casos suspeitos.  Até o momento são 1.403 casos positivos, sendo registrados três óbitos.
Quanto à Zica foram notificados até agora 40 casos suspeitos, sendo três positivos; Chikungunya são 24 casos suspeitos e nenhum positivo até o momento.   


Ainda em alerta
Segundo a coordenadora do Centro de Controle de Zoonozes (CCZ), Rosana Alexandre da Silva, a redução das notificações não significa que o município vai baixar guarda. "Os mutirões vão continuar e os trabalhos de visitas de rotina nos imóveis também. Vamos continuar em alerta, porque qualquer descuido, o mosquito volta a proliferar mesmo porque a temporada de chuva não parou e ainda o clima está quente", enfatizou.
Nos imóveis onde os mutirões passam os focos dos mosquitos são eliminados com larvicida pelos agentes de endemias. Os servidores de serviços gerais da Semsur (Secretaria de Serviços Urbanos) fazem a limpeza e retiram entulhos, materiais recicláveis e fazem roçada. Os mutirões ainda contam com o apoio da Guarda Municipal, Policia Militar e Corpo de Bombeiros.
"Com esse trabalho, a cidade está conseguindo um bom resultado, reduzindo os focos e consequentemente, os mosquitos, mas cada morador deve continuar fazendo a sua parte, realizando diariamente limpeza", lembra Rosana.

Aliado
Ela destaca que o trabalho no combate ao mosquito ganhou um forte aliado, que foi o enquadramento da Lei da Febre Amarela, Dengue, Zika, Chikungunya e demais vetores de doenças e zoonozes, que agora está mais rígida no município de Dourados.
Um dos pontos que torna a lei mais rigorosa é observado no artigo 10 que prevê aplicação de multa por cada foco do mosquito Aedes aegypti encontrado pelos agentes públicos, independentemente de notificação. No caso de imóveis residenciais é aplicada multa no valor de R$ 400,00 por foco. Já no caso de terrenos baldios o valor sobe para R$ 600,00 e nos imóveis comerciais, industriais e órgãos ou entidades públicas será aplicada multa de R$ 800,00 por foco encontrado.
Independente de localizado foco do mosquito, se no imóvel for mantida sujeira, mato, entulho, latas, garrafas, pneus, piscinas sujas, caixa de d´água aberta entre outros, que propiciem criação do mosquito, também está prevista notificação e multa. Neste caso, para imóvel residencial o valor da multa é de R$ 800,00; em terrenos baldios o valor é de R$ 1.300,00 e em empresas e indústrias o valor é de R$ 1.600,00.

Foto: Divulgação

Mais lidas

Faculdades de Medicina no Paraguai: Universidade USCA abre 280 vagas para curso de medicina e inscrições já estão abertas.

Veja a relação dos candidatos a vereador em Dourados com número que aparece na urna

Proprietários são notificados para adequação das calçadas em Dourados