Projeto acaba com brechas na Lei quanto a perturbação de sossego em vias públicas

"Lei do Pancadão"

Pela primeira vez se cria mecanismos que coíbem excessos com relação aos sons urbanos, sem artimanhas para o infrator, na cidade de Dourados. O Projeto, de autoria do vereador Mauricio Lemes, conhecido com a "Lei do Pancadão", protege o sossego público e também os profissionais ou competidores que utilizam o som de maneira saudável, em locais autorizados.

O texto relata a proibição da utilização de equipamentos sonoros automotivos ou de qualquer natureza, estacionado nas vias ou espaços privados de livre acesso ao público, tais como postos de combustíveis, especialmente a noite. Uma das constatações, por exemplo, foi que existem brechas na legislação que facilitam o desrespeito, como em relação a abordagem policial com o decibelímetro (aparelho medidor do sinal sonoro). O violador ganha tempo para desligar o dispositivo e acaba não sendo autuado.  
A Guarda Municipal agora poderá aplicar multa, apreender o veículo ou aparelho e ainda autuar tanto condutor quanto proprietários que estiverem irregulares. E mais, esse ato poderá ocorrer "independente de denúncia ou reclamação ou ferramenta que consiga medir esse barulho, fechando a lacuna aos infratores", segundo afirmação do vereador.
A Lei já está em análise pelos demais vereadores e já foi dado parecer favorável pela Comissão de Justiça, Legislação e Redação, para tramitação na Câmara. Para Mauricio, essa ação atende uma reivindicação antiga de moradores, tanto de centro quanto de bairros, contra aqueles que cometem abusos, principalmente na madrugada.

Mais lidas

Faculdades de Medicina no Paraguai: Universidade USCA abre 280 vagas para curso de medicina e inscrições já estão abertas.

Veja a relação dos candidatos a vereador em Dourados com número que aparece na urna

Proprietários são notificados para adequação das calçadas em Dourados