Bibliotecas de Dourados passam por reestruturação

 Com o objetivo de incentivar a leitura, as bibliotecas das escolas da Rede Municipal de Ensino passaram por uma reestruturação, o que resultou em inúmeros avanços e destaque nacional com a premiação que contemplou Dourados como um dos 100 melhores a nível de bibliotecários.
O trabalho começou quando a ex-secretária Marinisa assumiu a Secretaria de Educação e logo constatou as condições precárias dos espaços nas escolas, que apresentavam características de um depósito do que de um espaço para leitura.

Em visita as unidades de ensino foram realizadas alguns levantamentos a cerca da problemática e o resultado desse levantamento viu-se a necessidade de preparar os profissionais que se encontravam e se encontram dentro das bibliotecas escolares, proporcionando a eles, formação continuada dando direcionamento para que pudessem desenvolver ações que auxiliasse os professores.
A principal preocupação foi tornar a biblioteca da escola um local de democratização da leitura e do conhecimento, visando despertar o amor à leitura. Por isso foi primordial, primeiramente, a organização do espaço. Ele surgiu a partir da colaboração entre as pessoas que acreditam em uma educação melhor e na importância da leitura para os educandos.
 As bibliotecas escolares passaram por reformas internas, algumas foram ampliadas, acervos reestruturados com a aquisição de livros pelos diretores e material recebido do MEC através do Plano Nacional da Biblioteca Escolar.
Hoje, todas as auxiliares de bibliotecas vêm recebendo formação continuada desde 2013, incluindo atendimento, curso de Libras, projetos de leitura em conjunto com as professores de língua portuguesa, restauração de obras literárias, adequação do acervo por faixa etária, ética no ambiente de trabalho além de formar contadores de história, um avanço para a nossa educação.
Em visita as escolas Laudemira, Sócrates Câmara e Frei Eucário foi é possível constatar a eficácia do trabalho, as auxiliares de bibliotecas se sentem valorizadas, por garantir aos alunos um espaço harmonioso e garantem que a biblioteca hoje é um espaço em que os alunos gostam de estar.
Para a professora do 6º ao 9º ano de Língua Portuguesa, Márcia Devotti da Escola Laudemira, incentivar a leitura é diversificar o vocabulário, é enriquecer o conhecimento do aluno e não restringi-lo a uma única opinião, haja vista que o processo de leitura desperta o senso critico do aluno.
Hoje os professores realizam projetos de leitura concomitantemente com o projeto de leitura existente dentro das bibliotecas, trabalhando temas transversais, como meio ambiente, ética, pluralidade social, entre outros.
Na escola Sócrates Câmara, o projeto deu tão certo que uma vez por ano os alunos escrevem o seu próprio livro que é trabalhado ao longo do ano e a escola promove para eles uma noite de autógrafos, onde esse aluno pode distribuir o seu livro e autografa-lo, assim é possível constatar que além do incentivo a leitura ainda a produção textual também é trabalhada.
Em fala, as auxiliares das escolas visitadas disseram que hoje se sentem valorizadas porque se sente inseridas dentro do processo de ensino aprendizagem do aluno, sente a sua importância no trabalho de incentivo a leitura, isso, consequentemente traz resultados, pois antes nós nos sentíamos jogadas para um espaço que mais parecia um "depósito".
Para estas profissionais, a mudança aconteceu a partir do incentivo que veio das formações que promoveram além de conhecimento, mudanças de habito, assim o nosso trabalho se torna fundamental para que o professor possa trabalhar com a leitura.
Na escola Frei Eucário, o trabalho também é desenvolvido com muito amor, o espaço da biblioteca é lúdico e cuidado com amor pelas auxiliares de biblioteca e, elas afirmam que os alunos muitas vezes deixam o intervalo para estarem dentro da biblioteca.
Nos Ceims, os professores contam com as Bebetecas, um espaço com temática para a idade dessas crianças e com materiais pedagógicos que promovem o encanto pela leitura.
Importante ressaltar que o espaço da biblioteca é utilizado por todos os professores, transformando o espaço em órgãos vivos de ação pedagógica, pois a proposta é desenvolver ações especificas direcionada para conduzir o aluno de forma critica e ativa, fazendo da biblioteca escolar o local de múltiplas leituras e descobertas de informações, de formação e outros.
Hoje, podemos constatar que, ações como estas propiciam o encantamento pelos livros e o desabrochar do gosto pela leitura, com isso, a equipe pedagógica e professores vêm, a cada dia, fortalecendo, dinamizando e tornando mais prazerosa a leitura. Levar os alunos à biblioteca é uma prática cotidiana entre eles.

Foto: Arquivo

Mais lidas

Faculdades de Medicina no Paraguai: Universidade USCA abre 280 vagas para curso de medicina e inscrições já estão abertas.

Veja a relação dos candidatos a vereador em Dourados com número que aparece na urna

Proprietários são notificados para adequação das calçadas em Dourados