Délia Razuk celebra Dia da Mulher com servidoras



“A mulher tem que ter a liberdade de ser o que ela quiser”, destacou a prefeita Délia Razuk durante evento do Dia Internacional da Mulher, neste dia 08 de março, realizado no CAM (Centro Administrativo Municipal). A ação voltada para as servidoras municipais contou com palestras, sorteio de brindes
e café da manhã.

Délia Razuk abriu a atividade com depoimentos sobre sua trajetória com ênfase ao “orgulho imenso de ser a prefeita de Dourados”. Ela agradeceu a classe feminina que muito a apoia e ressaltou sobre os múltiplos papeis da mulher atual.




“Somos cidadãs e temos que ser respeitadas em todos os nossos direitos. Por oito anos representei a mulher na Câmara Municipal e com o apoio de todos, em especial das mulheres estou no Executivo e só tenho a




agradecer e lembrar do compromisso que tenho com a classe, que hoje e cada




vez mais está em cargos de lideranças, na política, cuida da casa e dos filhos,




enfim tem a liberdade de escolher o que quer ser”, disse.




Edna Bonelli, presidente da Comissão da Mulher Advogada, ministrou




a palestra sobre a luta pelo empoderamento. Ela destacou as conquistas




femininas ao longo dos anos, os desafios ainda existentes quanto a igualdade




de gêneros e a necessidade de uma maior união da categoria.




Os 85 anos do direito do voto feminino foi lembrado por ela com




destaque ao evento realizado em fevereiro pela Prefeitura por meio da




Coordenadoria de Políticas Públicas para as Mulheres. Ela ressaltou também




o direito estabelecido em 2002 para que tanto o homem quanto a mulher




tivessem a escolha de adotar o sobrenome dos cônjuges.




Para ela as conquistas tem acontecido, no entanto é necessário que




muitos aspectos ainda sejam mudados como o melhor reconhecimento




profissional e o fim da violência contra a mulher.




“No setor privado, ainda há a desigualdade de salários, sendo que a




mulher nos mesmos cargos de gestão que o homem ganham menos, isso não




pode acontecer. O nível de violência contra a mulher ainda é muito alto,




mesmo com a lei Maria da Penha, temos muito a lutar ainda”, destacou.




Ela enfatizou que as mulheres devem ser “multiplicadoras” da luta




pelos direitos e apoiar mais umas as outras para que se destaquem e cargos




de lideranças, bem como políticos.




Sonia Maria Rodrigues Pimentel, da Coordenadoria de Políticas




Públicas para Mulheres, também realizou explanações sobre tais temáticas no




evento. Ela deu ênfase ainda a conscientização contra ao assédio moral e




sexual.




“Nós precisamos seguir unidas para mais conquistas e denunciar todos




os tipos de violência. É preciso ainda oferecer condições e capacitação para




que a mulher não se submeta a estas ações e isso tem sido buscado, creio que




de mãos dadas conseguiremos muito mais”, pontuou.




Durante todos o mês, a Coordenadoria tem realizado eventos em




instituições públicas e privadas e palestras nos Cras (Centro de Referência de




Assistência Social). Temas como sexualidade, qualidade de vida, o impacto




da conquista do voto feminino e a mulher como protagonista da sua história




vem sendo trabalhados nestas oportunidades.




Mais informações sobre as ações ou parcerias nas mesmas podem ser




obtidas pelo telefone: 67-3411- 7772.

Mais lidas

Faculdades de Medicina no Paraguai: Universidade USCA abre 280 vagas para curso de medicina e inscrições já estão abertas.

Veja a relação dos candidatos a vereador em Dourados com número que aparece na urna

Proprietários são notificados para adequação das calçadas em Dourados