Piscicultores destacam oportunidade de negócio da Festa do Peixe


Pescaria e comercialização de peixe, inseridos em uma gama de atrações culturais e esportivas, com a utilização de dois parques é a oportunidade de negócio destacada pelos produtores que fornecerão o pescado para a 13ª Festa do Peixe. Em reunião na manhã desta sexta-feira (7), na Secretaria de Agricultura Familiar e Economia Solidária, os piscicultores destacaram o apoio e a organização da festa no aproveitamento do segmento na economia local.
Claudio Pradela, piscicultor veterano da Festa do Peixe, destacou o viés da oportunidade de negócio para a classe produtora da região que enfrenta, como outros segmentos, a crise econômica. "Faço a feira há muitos anos e ela é, sem dúvida, uma válvula de escape que temos para vender nossa produção. A Festa do Peixe é uma oportunidade de negócio, junto com uma oportunidade de diversão imensa para Dourados e região, e na semana da Páscoa, quando temos por costume o consumo do peixe. Este ano está muito boa a expectativa", disse o produtor.

Como regra de mercado e auxílio a esta comercialização dos produtores douradenses, a qualidade do produto oferecido conta há algum tempo com o acompanhamento de especialistas de universidades de Dourados.
Especificamente na qualidade da carne do peixe e da água onde ele é criado, a Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD) desenvolve pesquisas de acompanhamento tendo por primazia a qualidade do pescado.
"A parceria da UFGD monitora os peixes há três anos em parceria com a prefeitura. Vários pontos são interessantes neste trabalho. Temos cuidados com a despesca, com o transporte, o abate até a comercialização. A qualidade do peixe fresco é o nosso objetivo e o douradense tem esta garantia", disse Fabiana Cavichiolo, pesquisadora da UFGD.
Preços
Ainda ontem, o secretário Landmark Ferrreira Rios informou que o valor do quilo do peixe na festa foi definido em reunião com os produtores e organização da festa. O pacu será comercializado a R$ 10, o catfish a R$ 13 e o pintado a R$ 15. "Conseguimos chegar a este preço em um consenso entre produtores, levando em consideração o momento econômico do Brasil, para que a população tenha acesso", disse o secretário.
"Apesar da crise, esperamos uma grande festa. Tenho a certeza que esta será a melhor festa. Foi mais divulgado, mais conversado. O produtor, o visitante, a organização, todos tem sido bem cuidados", disse o produtor Antonio Custodio de Souza.

Foto: A. Frota

Mais lidas

Faculdades de Medicina no Paraguai: Universidade USCA abre 280 vagas para curso de medicina e inscrições já estão abertas.

Veja a relação dos candidatos a vereador em Dourados com número que aparece na urna

Proprietários são notificados para adequação das calçadas em Dourados