Acadêmica da UFGD vence prêmio internacional de fotografia e dedica mérito às mulheres Kaiowá e Guarani

A acadêmica de Psicologia da UFGD, Fabiana Assis Fernandes, foi a vencedora da Mostra Visual Fazendo Gênero que integrou o 13º Congresso Mundo de Mulheres e o Seminário Internacional Fazendo Gênero, realizado na semana passada em Florianópolis.

Fabiana Fernandes é de Dourados e registrou através de fotografias a história, as lutas e resistências das mulheres indígenas Kaiowá e Guarani. Intitulada Kuña Porã: Matriarcas Kaiowá e Guarani, a exposição fotográfica apresenta registros feitos desde 2010 nas aldeias Jaguapiru, Bororó e Panambizinho e nos acampamentos Apyka´i, Ita´y, Guyra Kambi´y.

Além de conferir visibilidade aos processos de empoderamento dessas mulheres indígenas, o trabalho da acadêmica reposiciona o olhar daqueles que as observam. Críticos da mostra enfatizaram que as fotografias da estudante alcançam lugares, experiências e tempos recolhidos na história de um país que teima em escondê-las.

Para a Fabiana Fernandes, voltar como ganhadora de uma Mostra internacional em meio há mais de 10 mil mulheres e incríveis trabalhos e vivências, é empoderá-las. "Para a academia e os estudos de gênero este é o principal prêmio que eu poderia ganhar. Mas vencer a Mostra dá visibilidade pra luta e resistência dessas mulheres e de seu povo. É uma forma de poder dizer para todos que nossas mulheres Kaiowá e Guarani estão no Cone Sul do estado lutando e resistindo todos os dias. Este troféu é delas e para elas", disse.

Durante a cerimônia de entrega do prêmio, Fabiana Fernandes dedicou o mérito para a luta dos povos indígenas. "Com muito respeito e gratidão por tantos anos de convívio, dedico este mérito para a luta dos povos Kaiowá e Guarani. Agradeço os Nhandecy, ao RAJ e Aty Kuña por confiarem e construirem juntos essa exposição".

OUTROS TRABALHOS
O trabalho fotográfico Kuña Porã de Fabiana Amaral vai virar um documentário, contemplado no edital do Museu de Imagem e Som (MIS), de Campo Grande. O trabalho está sendo feito com o auxílio de outros três fotógrafos da cidade e também com mulheres indígenas. "É uma contrapartida. Está sendo feito um filme com elas e para elas", disse.

Em setembro, no município de Caarapó, durante a grande assembléia das mulheres indígenas Guarani, Kaiowá e Nhandeva de MS - Kuña Aty Guassu, uma prévia do audiovisual será mostrada a todas presentes. "Nós encontramos legitimidade do trabalho nos espaços oficiais".

A acadêmica também tem essas fotos publicadas no ensaio fotográfico Mulheres Kaiowá e Guarani - Expressões, publicado pela Editora UFGD com organização dos professores Ana Maria Colling e Losandro Antonio Tedeschi.


FAZENDO GÊNERO
O Seminário Internacional Fazendo Gênero é uma conferência internacional que reúne movimentos sociais e feministas de todo o mundo a cada três anos. Este ano, o evento aconteceu em Florianópolis (SC) e o encontro de 2020 já está marcado para acontecer no Moçambique.

O evento tem se constituído em um importante canal para trabalhos de especialistas que desenvolvem estudos no âmbito de diferentes tradições disciplinares, contemplado temas variados e abordados a partir de diversas perspectivas teóricas, que divulguem pesquisas sobre mulheres, relações de gênero e sexualidade através de outros sportes, numa perspectiva feminista.

A Mostra Audiovisual que integra o Seminário é um espaço importente de amostragem e discussão, pois reflete visualmente não apenas as pesquisas e leituras sobre gênero, mas o caminho que vem seguindo a antropologia visual e o documentário contemporâneo, que mais que um discurso, marca o discurso na imagem.










Mais lidas

Faculdades de Medicina no Paraguai: Universidade USCA abre 280 vagas para curso de medicina e inscrições já estão abertas.

Veja a relação dos candidatos a vereador em Dourados com número que aparece na urna

Proprietários são notificados para adequação das calçadas em Dourados