Opinião - Pedro Lima - Governo e parlamentares contra o trabalhador

Pedro Lima*
Apesar dos inúmeros e insistentes alertas não só de lideranças sindicais, mas até de autoridades renomadas do judiciário brasileiro, especialmente do Ministério Público, entre outras, sobre uma situação insustentável que chegará a relação trabalhista no Brasil, devido a medidas radicais e penosas para o trabalhador, o Governo de Michel Temer, com o apoio imoral da maioria dos parlamentares do Congresso Nacional, insiste em trilhar esse caminho de retirada de direitos e das garantias mínimas de ganhos justos e decentes deste que é de fato o maior responsável pelo desenvolvimento econômico de uma Nação: a força do povo, a força do trabalho do cidadão.
Exemplo disso é a Medida Provisória 808/2017, editada com o propósito de "corrigir" ou "amenizar" os impactos da Reforma Trabalhista, aprovada de maneira vergonhosa no ano passado. Essa MP não melhorou absolutamente nada para o trabalhador brasileiro. À exceção do trabalho das gestantes em ambientes insalubres, como estava aprovado na reforma, a 808 não beneficiou o povo brasileiro de maneira alguma. 

A maioria dos nossos ilustres parlamentares e Governo haverão de respeitar as 28 sugestões (emendas) apresentadas pela nossa confederação (CNTC – Confederação Nacional dos Trabalhadores no Comércio)  e outras emendas de alguns poucos parlamentares que, depois de exaustivas discussões sobre o assunto com representantes de todo o país, elaboraram essas sugestões que são de fato, capazes de amenizar os impactos da reforma trabalhista e promover uma melhor relação entre o capital e o trabalho.
Não tenho dúvida de nossas propostas promoveriam um equilíbrio na reforma trabalhista, promovendo justiça e, ao mesmo tempo, atenderia à proposta principal, de reformar a relação trabalhista brasileira. Não fomos ouvidos. A maioria dos nossos (?) parlamentares parece representar apenas a força empresarial, o capital, o poderio econômico, em detrimento do povo. Mesmo sob ameaça de um novo ano eleitoral.
A atitude da maioria dos deputados federais e senadores, quando votam insistentemente contra os interesses dos trabalhadores, parece ignorar o poder do voto das pessoas, as mesmas para as quais eles trabalham contra. Ou eles apostam na curta memória do eleitor? Será que eles apostam que tudo o que fizeram, desde o ano passado com a reforma trabalhista e o que eles estão pretendendo fazer com a reforma da Previdência, será esquecido pelo povo até o dia da eleição em outubro?
É lamentável tamanho desrespeito do Governo e da maioria dos nossos deputados federais e senadores, que servem de massa de manobra dos interesses do senhor Michel Temer e estão pouco ligando para as consequências de seus projetos e ações que estão esfacelando as famílias e diminuindo drasticamente a qualidade de vida do trabalhador brasileiro e aumentando, literalmente, a pobreza no Brasil. É lamentável!
Organismos como a Fetracom/MS, CNTC, sindicatos e outras entidades que defendem e lutam pelos direitos dos trabalhadores, como Ministério Público e Ordem dos Advogados do Brasil vão continuar os embates em 2018. Continuaremos perseverantes e persistentes na dura defesa de medidas que valorizam o trabalho do povo e dignificam a família brasileira.
Em 2018, vamos somar forças e lutar. Vamos às últimas consequências para denunciar o procedimento de cada parlamentar diante de projetos nocivos à nossa classe. Afinal, essa é nossa bandeira, esse é nosso sacerdócio: o bem estar da família brasileira.


*Presidente da Fetracom/MS e presidente do Sindicato dos Empregados no Comércio de Dourados - Secod.






Mais lidas

Faculdades de Medicina no Paraguai: Universidade USCA abre 280 vagas para curso de medicina e inscrições já estão abertas.

Veja a relação dos candidatos a vereador em Dourados com número que aparece na urna

Proprietários são notificados para adequação das calçadas em Dourados